Brasília-DF,
22/SET/2021

O mercado gastronômico brasiliense está na rota dos produtores suínos espanhóis

Capital já recebeu diversas especialidades como o pata negra, além de vários embutidos

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Liana Sabo Publicação:30/05/2014 06:10Atualização:30/05/2014 09:58
 Josep Ramon Llorens trouxe presuntos espanhóis para a capital federal (Josep Ramon/Divulgação)
Josep Ramon Llorens trouxe presuntos espanhóis para a capital federal
O mercado gastronômico brasiliense está na rota dos produtores suínos espanhóis. Pelo menos, duas importantes grifes - Josep Llorens Arte Ibérica e Interporc (Organización Interprofesional Agroalimentaria del Porcino de Capa Blanca) - incluíram a capital no roteiro de visitas ao Brasil.

Considerado um dos importantes embaixadores do tesouro culinário espanhol, Josep Ramon Llorens foi o primeiro a chegar. Trouxe presuntos ibéricos e outro derivados do porco que estão à venda na Adega Base, supermercado recentemente inaugurado entre Águas Claras e Vicente Pires, no Centermix, na EPTG.

A casa, que conta com o sommelier Tiago Pereira para auxiliar na escolha das bebidas, realiza degustação de algumas especialidades, como o jamón iberico, conhecido por pata negra, feito com porcos que se alimentam de bolotas, frutos caídos no chão das azinheiras, sobreiros e carvalhos. Lá, cuida-se ao máximo do bem-estar dos animais no seu meio natural, e a alimentação deles é composta por ervas, plantas aromáticas e cereais naturais.

De sabor ligeiramente adocicado, o presunto estilo pata negra é fornecido pelo porco ibérico de cor escura ao contrário do porco de cor clara, que se alimenta de milho e fornece o presunto serrano. Além dos embutidos (presunto, chouriço e salame ibérico), a indústria Josep Llorens também produz azeites extravirgem.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK