Brasília-DF,
28/SET/2021

Torre de TV oferece ao público bom espaço gastronômico e vista panorâmica

Dentre os prazeres da casa, temos o pão de queijo, iogurtes, geleias, licores e uma linha de queijos de cabra, além da vista da Torre de TV

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Bernardo Bittar - Especial para o Correio Mariana Vieira Rebeca Oliveira Publicação:27/06/2014 06:07Atualização:26/06/2014 13:16

Delícias produzidas no DF e nos arredores podem ser degustadas enquanto se observa a capital de cima (Gustavo Moreno/CB/D.A Press)
Delícias produzidas no DF e nos arredores podem ser degustadas enquanto se observa a capital de cima
Após quase duas décadas de reforma, o mezanino da Torre de TV foi reinaugurado e conta com um novo espaço gastronômico, o Café da Torre. Lá, os agricultores de Brasília e dos arredores terão oportunidade de comercializar a produção local, como bolos de Pirenópolis, que chegam diariamente em quatro sabores; cacau e baru, fubá e goiabada, maçã e baru e jatobá (R$ 6, a fatia ou R$ 15, o bolo inteiro). Para acompanhar, café espresso (R$ 5) ou capuccino (R$ 10), ambos feitos com o café Itiquira, produzido em Formosa.

Os visitantes podem optar, ainda, por pão de queijo (R$ 5, três unidades) ou iogurte (R$ 7) da cooperativa Copas, de São Sebastião. Se a ideia é levar uma lembrança gourmet do local, boas pedidas podem ser as geleias, os licores e uma linha de queijos de cabra, que inclui da ricota fresca (R$ 24 - 200g) ao ariche (R$ 24 - 200g).

 

Além do Café da Torre, o ponto turístico que vem recebendo muitos estrangeiros, as diversas barraquinhas que escondem sabores de vários tipos são atrações especiais.

É o caso da Delícias do Milho, instalada em uma das pontas da feira. "Meu avô fundou isto aqui há mais de 30 anos", orgulha-se a comerciante Maria José do Nascimento. Ela serve mais de 100 pratos com carne, arroz, feijão, salada e mandioca por dia na hora do almoço, por R$ 10.

Em época de Copa do Mundo, Maria José tem que se desdobrar para atender os torcedores estrangeiros. "O idioma atrapalha um pouco, mas na fome todo mundo se entende", afirma.

 

O sorveteiro João Orlando Goes e sua casquinha verde e amarela, sabor mais procurado (Ed Alves/CB/D.A Press)
O sorveteiro João Orlando Goes e sua casquinha verde e amarela, sabor mais procurado
O turista europeu muitas vezes não está acostumado com o calor encontrado por aqui. Por isso, uma sobremesa refrescante pode ser uma boa saída. "O pessoal já vem direto no verde e amarelo, acha bonito", conta o sorveteiro João Orlando Goes, referindo-se ao sabor que tem uma bola de baunilha e outra de pistache (R$ 4).

Além do doce gelado que tem as cores nacionais, sabores tipicamente brasileiros têm feito sucesso com os turistas. João Orlando oferece, entre outros, sorvete de bacuri, cupuaçu e tapioca (R$ 5) Diretamente do Pará, a porção com 500ml de açaí (R$ 10) pode ser turbinada com granola ou leite em pó.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK