Brasília-DF,
11/DEZ/2017

Chef Dudu Camargo fala sobre experiências com a pescaria gastronômica

Apesar de apostar na pescaria como uma forma de deixar em casa a agitação que permeia seu dia a dia, Dudu Camargo conta que prefere os peixes que brigam

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:05/07/2013 06:00Atualização:04/07/2013 15:01

O chef Dudu Camargo com o peixe que foi doado para a creche (Arquivo Pessoal)
O chef Dudu Camargo com o peixe que foi doado para a creche
Muitas vezes a pescaria é relacionada por quem gosta de comer bem a jantares à base de comida enlatada e improviso. Mas quando ela tem entre seus participantes o chef Dudu Camargo a tônica é outra. "Pesco há mais de 30 anos, desde minha adolescência, quando ia acompanhando meu avô ou meu pai. Minha pescaria é, além de divertida, gastronômica. É muito gostoso cozinhar e comer na beira do rio", conta Dudu. Para garantir que tudo dê certo, ele não deixa de levar para o rio um kit de temperos como cebola, alho, tomate e até açafrão. Dessa forma, ele pode preparar pratos com tucunaré, tilápia e piranha, peixe que, segundo Dudu, "rende um sashimi incrível, além do conhecido caldo".


 

 

 

 

 

 

 

 

Apesar de apostar na pescaria como uma forma de deixar em casa a agitação que permeia seu dia a dia, Dudu Camargo conta que prefere os peixes que brigam. "Valorizo a disputa com o peixe. A adrenalina me deixa a mil naquele momento. Perco muitos peixes porque não quero deixar de brigar", diz o chef, que prefere pescar em rios, especialmente no Pantanal mato-grossense, onde ele consegue fisgar espécies de jaú, pintado, pacu, tambaqui e, principalmente, tucunaré. "Já cheguei a trazer mais de 300kg de tucunaré de uma vez", afirma, advertindo logo, aos risos: "e não é história de pescador, não".

Por falar em história de pescador, Dudu revela uma que mostra um lado solidário da pescaria muitas vezes deixado de lado. Na ocasião, Dudu conta que fisgou um jaú de cerca de 60kg. Geralmente um peixe desse tamanho é devolvido para a água imediatamente, mas dessa vez os pescadores fizeram uma boa ação e doaram peixe para um creche da cidade de Poconé (MT), a cerca de 100km de Cuiabá. "Fiz questão de levar o peixe pessoalmente para a creche já limpo. Deve ter dado para alimentar a criançada por uma semana", orgulha-se.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK