Brasília-DF,
28/SET/2021

Pescados de água doce conquistam o paladar de brasilienses

Os peixes estão quebram preconceitos e aparecendo na mesas da população de Brasília

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Vinicius Nader Publicação:05/07/2013 06:00Atualização:04/07/2013 17:40

Tilápia com purê de batata-baroa, aposta no sabor (Edilson Rodrigues/CB/D.A Press)
Tilápia com purê de batata-baroa, aposta no sabor
O Brasil tem cerca de 13% da água doce do mundo. Mesmo assim, os peixes ali encontrados ainda sofrem uma espécie de preconceito quanto ao sabor. Tilápias, tambaquis, pirarucus, pacus e tucunarés convivem com as acusações de que têm gosto de terra ou sabor mais forte, além de tantas outras. Em sua defesa, chefs da cidade oferecem esses peixes em seus cardápios e chegam a comandar casas especializadas nos pescados de rios. Muitos afirmam que o consumo está crescendo na cidade.

“A carne dos peixes de rio costuma ser menos gordurosa — por isso, mais leve e de mais fácil digestão — e com mais firmeza, sendo algumas vezes até mais macia”, afirma o chef especialista em peixes Marcelo Pandolfi, do restaurante Esquina Gourmet, na Vila Planalto.

Peixes menos gordurosos e sem gosto de terra (Bruno Peres/CB/D.A Press)
Peixes menos gordurosos e sem gosto de terra
Quanto ao famoso gosto de terra que pode aparecer, Marcelo explica que ele se faz presente em peixes que vivem no fundo dos rios e que exemplares como tucunaré e traíra nadam no raso e são carnívoros, o que não deixa o sabor desagradável neles. “Além disso, hoje em dia, há muita tecnologia usada por criadores que conseguem eliminar o gosto de terra de peixes que vivem no fundo dos rios”, completa.

Criatórios diferenciados

Comandante das cozinhas de quatro restaurantes — Danoi, Your’s, Dudu Camargo Bar e Restaurante e Unanimitá —, o chef Dudu Camargo também destaca que a expansão do cultivo de peixes em criatórios, “alguns em redes, nos próprios rios, outros em tanques”, foi essencial para resolver a questão do sabor dos peixes de rio, longe do lodo. Além disso, Dudu completa dizendo que “os de água salgada nadam mais do que os de água doce, e isso faz com que a carne deles seja mais dura”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Veja vídeo com o chef Dudu Camargo explicando as diferenças entre os peixes

 

 

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK