Brasília-DF,
18/SET/2021

Chef do Taypá agrega novidades ao cardápio da casa; leia mais

As novidades vão desde as entradas até a sobremesa, num total de 18 sugestões

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Liana Sabo Publicação:27/03/2015 06:12Atualização:26/03/2015 12:59
 (Liana Sabo/CB/D.A Press)
O nobel de literatura Mario Vargas Llosa certa vez publicou artigo no jornal espanhol El País, no qual dizia "os chupes de camarão, os piqueos, a causa e os ceviches trazem agora a Lima tantos turistas como os palácios coloniais e pré-hispânicos de Cusco e as pedras de Machu Picchu".

A essa lista de iguarias, podem-se acrescentar muitas outras. Até um humilde frango assado se sai excelente. Como no Taypá, onde o chef Marco Espinoza agregou ao novo cardápio um galeto de mais ou menos 800g, com delicioso recheio de couve e cogumelos, servido com vegetais assados acompanhados do molho típico peruano (o rocoto, feito de pimentão).

A ave começa a ser assada na hora do pedido, então há algum tempo de espera, cerca de 20 minutos, para vir à mesa o prato mais artesanal do menu. Serve duas pessoas por R$ 82,20.

Destaques à mesa

As novidades vão desde as entradas - anticuchos (espetinhos) de polvo, milho caramelado, batatas confitadas, espuma de azeitona, molho de pimentão assado e pão de batata - até a sobremesa, tartalete de cupuaçu com creme inglês de capim-santo e pimenta-amarela, num total de 18 sugestões, que só de ler junta água na boca.

Outra criativa entrada são os ovos mexidos com camarões, presunto cru e batatas crocantes. Também os ceviches - carro-chefe da casa - ganharam novas companhias, como o de atum e lichia com toques orientais de cogumelos confitados (R$ 58,80). Magret de pato entrou no tiradito norteño com molho de pimentas, limão e laranja (R$ 54,80).

Assim como o galeto, o porquinho também pode ser um ingrediente que "fala" às papilas do gourmet. Sem manipulá-lo demais, Espinoza cozinha o leitãozinho por 14 horas no forno a vácuo e o serve com purê de milho e baunilha, que é um escândalo de bom, batatas e alho-poró confitado por R$ 64,80.

Saiu no Michelin
Marco Espinoza recebeu em Brasília uma boa notícia. O Lima Restobar, aberto por ele há cinco anos, em Botafogo, foi um dos oito estabelecimentos cariocas distinguidos como BIB Gourmand (restaurantes que oferecem boa relação de qualidade e preço) conferido pelo Guia Michelin. Desde a semana passada na capital, treinando o preparo dos pratos com a equipe, hoje sob o comando do chef corporativo Carlos Artica, Espinoza comemorou o reconhecimento.

Em sua estreia brasileira (apenas Rio e São Paulo), o guia francês elegeu 17 restaurantes, mas não deu a nenhum deles a pontuação máxima de três estrelas. Duas estrelas foi o que conquistou Alex Atala com o seu D.O.M. em São Paulo. Os outros - 10 na capital paulista e seis no Rio - ganharam uma estrela cada. Como BIB Gourmand, 25 casas foram agraciadas.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK