Brasília-DF,
11/DEZ/2017

Coluna Favas Contadas apresenta a arte da culinária francesa em Brasília

Conheça espaços na Capital Federal que trazem o gostinho e as delícias dessa cultura tão consagrada no segmento gastronômico

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Liana Sabo Publicação:25/03/2016 07:00Atualização:24/03/2016 12:49

 (Fotos: Jhonatan Vieira/Esp. CB/D.A Press)
 

 

O seleto grupo de padarias francesas ganhou mais um integrante, que traz para a Asa Norte, além de pães especiais, a arte culinária focada nos alimentos doces, como é o caso da confeitaria. Philippe Verstraete, 57 anos, comanda uma loja homônima, instalada no Bloco A, esquina de baixo da 310 Norte, que abriu as portas nos últimos dias de dezembro em low profile para atingir, nesta Páscoa, o ponto alto de suas preparações.


“Tínhamos pressa em nos estabelecer, mas o cardápio ainda está em construção”, explica a sócia-proprietária brasiliense Adriana Santana de Moraes, professora de geografia, que conheceu o chef-boulanger em Nice, durante visita a uma amiga na França. A história dos dois é semelhante a de todos os outros casais mistos que povoam o mundo da gastronomia no Brasil.

Casca macia

 (Fotos: Jhonatan Vieira/Esp. CB/D.A Press)
Nascido no sudoeste francês, Philippe estudou um ano para obter diploma de padeiro e trabalhou 10 anos numa confeitaria em Brignoles, pequena cidade próxima de Mônaco. Depois de conhecer Adriana, visitou Brasília em 2010, mas só dois anos mais tarde voltou para ficar. “Aí, já começaram as pesquisas para se estabelecer, o que acabou acontecendo em Águas Claras”, lembra ele. O lugar pequeno não era muito adequado para o empreendimento pretendido.


Cada semana, há um novo produto na vitrine da loja, cujo enxuto cardápio cresce gradativamente. Há três tipos de baguetes, sendo que a tradição e a multigrãos são feitas com farinha francesa, o que resulta numa casca rija. “Para satisfazer o gosto do brasiliense, desenvolvi a baguete parisiense com farinha brasileira, que torna macia a casca do pão”, revela o padeiro. Tem, ainda, pão de nozes com gorgonzola (R$ 15) e de azeitona (R$ 10).

Café com quiche


Já a pâtisserie, que é a doçaria francesa, tem forte herança materna. “Minha mãe faz bolos em casa algumas vezes melhores do que faria um confeiteiro”, garante Philippe, que lança a columba pascal. Hoje, no dia dedicado à lembrança do sacrifício de Cristo, a loja não abre. Amanhã e domingo, porém, estará completa toda a linha de doces, a partir do café da manhã, que sai por R$ 35 ou R$ 42, conforme o número de produtos, e é servido em mesinhas colocadas na parte externa junto ao jardim.


Croissant tradicional e recheado com creme de amêndoa, torta de pêra, bolo de limão, torta Opera de creme de café e ganache de chocolate meio amargo, massa folhada, pan au chocolat, quiche Lorraine e fougasse (versão francesa da focaccia com azeitonas e ervas) são algumas iguarias da mais nova confeitaria francesa da cidade, que promete outras receitas para servir no almoço. Telefone: 3964-0030.

Um doce sonho


Abriu as portas quarta-feira, na 405 Sul (Bloco A), a primeira loja da rede de franquias especializada em croissants. Chama-se Croasonho (pode isso, Dad?), numa alusão ao produto mor e ao sonho que os idealizadores tiveram ao se lançarem no negócio, iniciado no Rio Grande do Sul, em 1997.


Pelo menos é essa a interpretação de Bruno Costantin, que compartilha com os irmãos Tiago e Johnatan Costantin, dos quais é primo, a franquia brasiliense. Nos primeiros dias, os três recebem apoio do franqueador para tocar a loja (são 71 espalhadas por todo o país). A equipe, que ficará até a próxima semana, atenderá ao público hoje, a partir das 16h.

Menu sazonal


O delicioso pão amanteigado de massa folhada nasceu em Budapeste, em 1686, quando os turcos ocupavam a cidade. O formato em lua crescente é alusivo ao emblema da bandeira do Império Otomano. Mas foi na França que a iguaria se desenvolveu para acompanhar chá ou café.


Na loja, há mais de 40 opções doces e salgadas que podem variar conforme a estação. Um exemplo é o croissant recheado de abacaxi e coco, que voltou ao cardápio de verão em dois tamanhos: pequeno, por R$ 13,45; e grande por R$ 19,95, informa Bruno. Além da iguaria, a casa oferece pratos executivos, como filé ao molho de queijos com batata rústica, fricassê de frango com batata palha (R$ 18,95) e espaguete ao molho de camarão por R$ 22,95. Telefone: 3244-8444.

Sugestões para a Páscoa


Inspirado no peixe que, por muitos anos, prevaleceu na Vila Planalto, o chef do Jambu, Leandro Nunes, lança um filé de tainha ao molho de manteiga e limão, servido com purê de pupunha, quiabo, cebola e cenoura glaceados (R$ 54) . A sugestão vai até domingo. Telefone:
3081-0900.

 (Rebeca Naya/Divulgação)
Mercado 153 do Brasília Shopping elegeu um mix de camarão e bacalhau no azeite com legumes grelhados como sugestão por duas semanas. O prato vem acompanhado de arroz com amêndoas por R$ 54,90. Telefone: 3047-8680.

Festival de bacalhau promete à mesa do Limoncello (402 Sul) o chef Victor André, que prepara o peixe norueguês ao forno, no risoto e numa interpretação própria, com cebolas caramelizadas na laranja e confit de tomates sweet. Telefone: 3226-3208.

Com belo visual, alguns ovos estão mais para sobremesa que para chocolate simplesmente. É o caso da Doce Maison (213 Sul) que confeccionou ovo partido ao meio com brigadeiros. Domingo, a loja estará aberta
das 9h30 às 11h. Telefone: 3345-6243.

Stans, a grife suiça-brasiliense, de Denise e Xavier Odermatt (407 Sul), lança três novidades: ovo casca dupla, uma ao leite e outra amarga com recheio de maracujá; ovo de chocolate ao leite ou amargo com laranja cristalizada; e mais um tamanho de coelho, aumentando para 12 o número de orelhudos. Ainda tem uma linha sem leite, sem glúten e sem açúcar. Telefone: 3443-0199.

Com chocolate vai bem o café. Por isso a Nespresso oferece as duas opções, sendo que a gostosura doce pode vir ainda no sabor amargo e em nibs de cacau e pedaços de caramelo com flor de sal em kits compostos por duas caixas, cada uma com 40 tabletes, cujos preços variam de R$ 78 a R$ 90.

 (Nilo Biazzetto/Divulgação)
Para os vegetarianos há hoje uma boa opção justamente no Madero. Apesar de ser especializado em carnes, a casa oferece hambúrguer fit, feito na churrasqueira com quinoa, aveia, cenoura e muitos temperos, como cebola, cebolinha e alho-poró. Vem com creme de palmito, cheddar light, alface, tomate, cebola grelhada e salada por R$ 36.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK