Brasília-DF,
20/OUT/2017

Novela Dona Beija fez despontar emissora no cenário internacional

Um dos maiores sucessos da TV Manchete, a trama também impulsionou a carreira de Maitê Proença

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Ataide de Almeida Jr. Publicação:27/04/2014 06:09
Maitê Proença e Grancindo Jr. em cena na novela Dona Beija (Arquivo/Manchete)
Maitê Proença e Grancindo Jr. em cena na novela Dona Beija

Com uma megaprodução e um investimento de cerca de US$ 2 milhões — considerado elevado para uma novela —, a TV Manchete colocava no ar Dona Beija, em 1986. O folhetim contava a história de Ana Jacinta de São José, a Dona Beija, que na pequena cidade de São Domingos do Araxá (MG), no século 19, é raptada e obrigada a virar a amante do ouvidor Mota.

Para se vingar, Ana começa a servir os homens da cidade em troca de dinheiro e joias. Ao se livrar do algoz, a protagonista parte atrás do eterno amor, Antônio Sampaio. No entanto, descobre que ele está casado. Desiludida, abre um bordel na cidade e começa uma história de intrigas e de escândalos.

No papel principal, estava Maitê Proença, que já havia feito outras novelas na TV Globo, como As três Marias e Um sonho a mais, mas que viu uma ascensão maior na carreira após o folhetim. Inclusive, a atriz protagonizou o primeiro nu em horário nobre da televisão brasileira. Isso rendeu a ela uma edição especial da revista Playboy.

Um dos destaques da trama, além dos belos cenários da Chapada Diamantina, era a trilha sonora, que trazia 14 Bis, com a música Viola e mel; e Wagner Tiso e o grupo Viva Voz, que fizeram a canção de abertura da novela. Depois de Dona Beija, Tiso foi responsável pelas canções da minissérie O primo Basílio e O sorriso do lagarto.

Dona Beija teve 89 capítulos e foi ao ar entre abril e julho de 1986. Depois, a TV Manchete reprisou por mais duas vezes a novela, a primeira em 1988 e, em seguida, em 1992. Houve ainda uma versão em VHS, lançada em 1990.

Curiosidades: Inspiração

A trama — inspirada em dois livros, Dona Beija, a feiticeira do Araxá, de Thomas Othon Leonardos, e A vida em flor de Dona Bêja, de Agripa Vasconcelos, — fez com que a emissora despontasse no cenário televisivo após três anos de existência. A novela foi exibida em 15 países. Em 2012, o portal Terra, versão peruana, elegeu Dona Beija como uma das melhores telenovelas de todos os tempos, ao lado de Roque Santeiro, A escrava Isaura e A próxima vítima.

Direção

Herval Rossano estava a cargo da direção de Dona Beija. Rossano havia acabado de dirigir A gata comeu, um dos grandes sucessos da TV Globo no horário das 18h. Para a novela da Manchete, o diretor ousou em muitas cenas, como a que Maitê Proença cavalgava nua em um cavalo. Herval morreu em 2007 vítima de problemas cardíacos. Na carreira dele, também se destaca a direção de A escrava Isaura.

De novo

Para a surpresa dos telespectadores, o SBT reprisou a Dona Beija, em 2009. A novela fazia parte da massa falida da TV Manchete adquirida pela emissora de Silvio Santos. No entanto, os atores que participaram da trama não ficaram muito contentes com a reexibição. Maitê Proença disse em entrevista ao O Globo, que o SBT tentou um acordo, mas ela não concordou. A transmissora exibia ao fim de cada capítulo um aviso pedindo aos interessados que entrasse em contato para receber os direitos de exibição.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK