Brasília-DF,
16/DEZ/2017

Programas após às 22h têm produções mais inventivas e polêmicas da tevê aberta

Band, Record e, até mesmo, a Globo investiram em atrações para ocupar o espaço desse novo horário

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Alexandre de Paula - Especial para o Correio Publicação:20/10/2014 06:30
Luciana comanda um programa de entrevistas (Rede TV/Divulgação)
Luciana comanda um programa de entrevistas

Com o ritmo acelerado das grandes cidades e da vida moderna, voltar para casa cedo se tornou, para alguns, uma tarefa complicada. Por isso, muita gente não consegue ligar a tevê a tempo de assistir à programação do tradicional horário nobre. Acompanhando esse movimento, os canais se voltaram para uma faixa da grade antes esquecida: as produções transmitidas depois das 22h.

Antigamente, a faixa das 20h era ocupada pelos principais telejornais e as novelas de maior destaque. Com o tempo, as atrações passaram a ser exibidas em horários cada vez mais tarde — o que facilitou a vida dos produtores. Por conta da audiência mais velha, eles podem ousar no conteúdo. Band, Record e, até mesmo, a Globo investiram em atrações para ocupar o espaço desse novo horário nobre (ao menos em inventividade e esforço dos produtores).

Carisma ao vivo

Na RedeTV!, um dos programas mais comentados é o Superpop, da apresentadora Luciana Gimenez. Toda segunda e quarta, às 23h, a ex-modelo comanda um programa de entrevistas. No palco, ela aposta em quadros inusitados e conquista a plateia com as piadas e o estilo carismático.

Jornalismo de comédia

Desde 2008, a Band exibe o CQC, programa liderado por Marcelo Tas. Apostando em humor irreverente, irônico e, em alguns momentos, até agressivo, a produção se mantém com público cativo nas noites de segunda-feira. Pelo elenco, já passaram nomes como Danillo Gentili e Rafinha Bastos.

Assassino brasileiro

Estrelada por Bruno Gagliasso e escrita por Glória Perez, Dupla identidade é exibida às sextas, às 23h30. Com direção de Mauro Mendonça Filho e do brasiliense René Sampaio, a série conta as desventuras do psicopata Edu (Bruno Gagliasso) e deve ganhar continuação em uma segunda temporada. A série ousa com a representação de um serial killer brasileiro, fórmula de bastante sucesso no exterior.

Política na telinha

A minissérie, encerrada na última sexta, Plano Alto, investiu pesado para narrar a história de três gerações de uma família envolvida com a política.

O personagem Guido Flores (Gracindo Jr.) é governador e participou da luta armada contra a ditadura militar. Filho de Guido, o deputado João Titino (Milhem Cortaz) foi integrante o movimento dos caras-pintadas e seu filho, Rico (Bernardo Falcone), participou das manifestações de junho de 2013.
Tags: celular

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK