Brasília-DF,
17/DEZ/2017

Beatriz Segall marcou a teledramaturgia com a personagem Odete Roitman

Uma das personagens mais icônicas da teledramaturgia não se resume a uma cena de assassinato

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Ataide de Almeida Jr. Publicação:12/04/2015 08:40
 Beatriz Segall na pele de Odete Roitman em Vale Tudo: intransigente e marcante
 ( Arquvo/TV Globo)
Beatriz Segall na pele de Odete Roitman em Vale Tudo: intransigente e marcante
Quem assistiu ao capítulo 193 de Vale Tudo, em 24 de dezembro de 1988, com certeza se surpreendeu com os três tiros que alvejaram a vilã Odete Roitman, vivida pela atriz Beatriz Segall — no dia, a novela teve 83 pontos de média no Ibope.

A partir daí, o público brasileiro viveu 13 dias de muita angustia e curiosidade. A pergunta “Quem matou Odete Roitman?” ecoou nos quatro cantos do país. No fim, Leila (Cássia Kis Magro) revelou-se como a autora dos disparos.

Essa é a história mais contada e a que trouxe fama para Odete Roitman. No entanto, não foi só por isso que a personagem teve papel marcante na trama.

 Autoritária e sem nenhum pingo de piedade, a presidente do grupo Almeida Roitman manipula a vida dos filhos —Helena (Renata Sorrah) e Afonso —, e trata mal os empregados.

Roitman está relacionada com a trama principal da novela, que tem como protagonistas Maria de Fátima (Glória Pires) e Raquel Accioli (Regina Duarte). Uma das primeiras ações dela é separar Raquel de Ivan (Antonio Fagundes), pois ela quer que o personagem de Fagundes se case com Heleninha.

Para isso, ela vai contar com a ajuda de Maria de Fátima, filha de Raquel. Em troca, Maria de Fátima vai se casar com Afonso. No acordo proposto por Odete, no entanto, a personagem de Glória Pires só teria direito ao dinheiro após dois anos de casamento.

Beatriz Segall construíu uma personagem que alimentou o ódio por ela no país. Basta lembrar que Odete morava em Paris e tinha verdadeiro horror ao Brasil. No período, a nação vivia o fim da censura e da tortura, além da instituição da liberdade de expressão e imprensa; a Assembleia Constituinte aprovou o texto da Constituição Brasileira, que também foi promulgada. Todos esse fatos traziam esperança ao país e um certo patriotismo.

Saiba mais

Sem punição

Odete Roitman foi uma das poucas vilãs da novela que sofreu uma punição nos capítulos finais — no caso, foi assassinada. No entanto, os outros que tinham má índole tiveram desfechos, digamos, bons. Maria de Fátima, por exemplo, casou-se com um italiano gay e rico. Ela pretendia tirar toda a fortuna dele com
a ajuda de César.

Vale Todo
Em 2002, a TV Globo em parceria com a Telemundo, rede hispânica de televisão, lançaram a versão em língua espanhola de Vale Tudo, chamada Vale Todo. O elenco era composto por artistas de fora. Quem adaptou a trama foi a autora Yves Dumont e contou com a direção de Wolf Maya. Na adaptação, Odete Roitman virou Lucrécia Roittman e foi vivida pela atriz cubana Zully Montero. Na trilha sonora, destaque para músicas de Lara Fabian e Zezé di Camargo & Luciano. A trama, no entanto, teve baixa audiência.

De volta
Desde 2012 afastada da televisão, a atriz Beatriz Segall voltou ao ar na série Os experientes, exibida na sexta-feira. Na trama, Segall interpretou Yolanda, uma senhora que é vítima de um assalto em um banco no Rio de Janeiro. A personagem tenta, então, ajudar a polícia a prender o bandido sem que ele perca a cabeça e faça uma loucura dentro da instituição financeira.
Tags: celular

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK