Brasília-DF,
23/SET/2017

Jurados acabam chamando mais a atenção do que os participantes de programas de TV

Claudia Leitte, Erick Jacquin e o júri de Superstar são exemplos de jurados que competem com o apresentador pela atenção do público

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Vinicius Nader Publicação:28/06/2015 08:20Atualização:26/06/2015 12:28
Tem como prestar atenção na música, Claudinha? (Globo/João Miguel)
Tem como prestar atenção na música, Claudinha?
Quem é a verdadeira estrela de um reality show ou de um programa de calouros? Se você respondeu os candidatos, até escolheu a opção natural, mas errou. Hoje a luta para ver quem aparece mais tem sido entre os jurados e apresentadores.

Abusando de caras e bocas, os jurados de Superstar estavam inspirados semana passada. Enquanto Paulo Ricardo fazia caretas a cada banda que subia ao palco, Sandy reclamava do público pelas notas baixas dadas aos grupos pelo público. "Não é possível gente", esbravejava, chorosa. Mas bom mesmo foi ver o esforço de Thiaguinho para chorar ao som da brasiliense Scalene. Emoção genuína.

Erick Jacquin: vilão sarcástico do MasterChef Brasil (Best Wester Premier/Divulgação)
Erick Jacquin: vilão sarcástico do MasterChef Brasil
Tão genuína quanto a vontade de aparecer de Cláudia Leitte. A técnica do The voice Brasil - que já confirmou participação na próxima temporada - solta gritinhos animados, pula na cadeira e abusa dos decotes para chamar mais a atenção do que os pupilos para quem vira a cadeira na atração. Colega de bancada de Cláudia, Carlinhos Brown vai pelo mesmo caminho e lança mão de discursos longos e desconexos e de onomatopeias toda vez que quer os holofotes em sua direção.

Como num clássico da dramaturgia, o time de jurados parece ser escalado com papéis bem definidos. É claro para quem assiste a MasterChef Brasil, por exemplo, que a mocinha é Paola Carosella. Sempre pronta a ajudar os cozinheiros, ela passa de bancada em bancada dando dicas e sorri ao provar a maioria dos pratos.

O posto de vilão também tem dono: Erick Jacquin. Como um bom malvado, ele tem tiradas irônicas, mas irrita muita gente ao disparar frases, como as do episódio passado, quando disse a um time que os integrantes deveriam pular para a prova eliminatória ou quando classificou a lasanha de Iranete de "presunto gratinado".

É claro que os estereótipos acabam reforçados pela equipe de edição, já que as ações repercutem nas redes sociais, despertando curiosidade do público e podendo refletir na audiência do programa. Fica aí a dúvida: jurados ou participantes, quem deve brilhar mais?

Jurados-celebridades

Não é de hoje que jurados de programas de tevê chamam a atenção. Nos programas de calouros de outrora, vários foram os que marcaram época e deixaram os candidatos na sombra do esquecimento. Confira alguns estilos:

A alegre

Elke Maravilha estava sempre de bom humor e pronta para elogiar o calouro que se apresentava no cassino de seu "painho" Chacrinha.

O crítico

Nem mesmo as críticas que Pedro de Lara fazia aos cantores que se apresentavam no Show de calouros de Silvio Santos tiravam a graça do jurado, que parecia se alimentar das vaias vindas da plateia.

A especialista

Uma das maiores cantoras de sua época, Aracy de Almeida era extremamente exigente em suas avaliações. Os candidatos tremiam quando Silvio Santos a chamava para opinar sobre o que acabara de ouvir.
Tags: celular

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK