Brasília-DF,
15/DEZ/2017

TV+ seleciona séries queridinhas da crítica que valem a pena uma maratona

As atrações, que ainda não conquistaram grande público, tem tramas instigantes e elencos de peso

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Adriana Izel Publicação:17/04/2016 06:30Atualização:15/04/2016 15:30

American crime story retrata um dos julgamentos mais conhecidos dos Estados Unidos
 (Michael Becker/Divulgação)
American crime story retrata um dos julgamentos mais conhecidos dos Estados Unidos


Game of thrones, House of cards, Breaking bad e The walking dead são alguns exemplos de séries que fazem sucesso entre o público, quebram recordes de audiência e se tornam assunto entre os fãs das produções televisivas. Apesar de todas essas atrações terem seus méritos (que são muitos), muitas vezes por conta do destaque em relação a essas séries, outros seriados com qualidade igual ou até superior acabam passando despercebidos do grande público e ficam no radar apenas da crítica especializada.

Desde o fim do ano passado, isso aconteceu com algumas ótimas produções. Para que você não perca a oportunidade de assistir a tramas instigantes com um elenco primoroso, o TV+ selecionou quatro séries que são sucesso entre os especialistas, mas que não são assistidas por todo mundo. Leia a seguir e veja o que você estava perdendo!

Julgamento histórico

Um dos julgamentos mais polêmicos e controversos da história americana se tornou combustível para a série American crime story: The people v. O.J. Simpson, de Scott Alexander, Larry Karazenwski e Ryan Murphy. A trama se inspira na história real do ex-atleta  O.J. Simpson, que, em 1994, se tornou o principal suspeito de matar a ex-mulher, Nicole Brown, e Ronaldo Goldman.

Talvez a história não seja tão conhecida no Brasil, mas nos EUA o julgamento, que durou 372 dias, mexeu com a população, evidenciou uma crise racial entre a polícia e a comunidade negra e serviu de base para tramas futuras dedicadas a questões jurídicas, já que o veredito  foi assistido ao vivo por milhões de americanos pela tevê.

 

 

Na série, que tem formato de ficção e não de documentário (até por isso tem liberdade na hora de aumentar ou romancear algumas situações do caso), o papel do ex-jogador ficou com o ator Cuba Gooding Jr, que tem sido elogiado pela atuação.

Assim como os atores John Travolta, que dá vida ao advogado Robert Shapiro; David Schwimmer, o advogado e melhor amigo de O.J., Robert Kardashian; e Sarah Paulson, que interpreta a promotora Marcia Clark.

 

Mundo da música

A mais recente aposta da HBO, a série Vinyl, antes mesmo de estrear já havia conquistado a crítica. O motivo é que a produção tem nomes de peso envolvidos: Martin Scorsese (diretor de O lobo de Wall Street), Mick Jagger (vocalista do Rolling Stones) e Terence Winter (roteirista de O lobo de Wall Street).

Vinyl conta a história da indústria fonográfica nos anos 1970, com foco em Nova York (Niko Tavernise/HBO/Divulgação)
Vinyl conta a história da indústria fonográfica nos anos 1970, com foco em Nova York
O projeto surgiu há 20 anos, com iniciativa de Jagger. Porém, apenas ultimamente, o trio conseguiu de fato fechar a ideia em um projeto televisivo. “De tempos em tempos a ideia crescia mais e ia mudando de forma e de formato. Passou de filme para longa épico, e depois para série. Havia muitos caminhos a seguir e, no fim, eles estavam conectados —  todos eles faziam parte de uma história maior”, explica o criador e produtor executivo Martin Scorsese.

O seriado, que se passa nos anos 1970, tem como foco mostrar os bastidores da rotina de músicos, compositores, executivos de gravadoras e profissionais do rádio no momento do surgimento do punk, da disco music e do hip-hop. “Foi em 1973 que todos esses ritmos foram inventados, com seis meses de diferença entre si e a 10km uns dos outros, em
Nova York. Então foi um período muito interessante e fértil da música”, defende Terence Winter sobre a escolha do período retratado na série. A história narra a vida de Richie Finestra (Bobby Cannavale), fundador e presidente da gravadora American Century Records, que luta para salvar a sua empresa, que está prestes a ser vendida e acaba tendo a paixão pela música reflorescida — porém, isso afetará sua vida pessoal.

Outro personagem importante na trama é Zak Yankovich (Ray Romano), chefe de promoções e sócio da American Century, que reúne anos de experiência e relacionamentos importantes para a empresa, embora sempre fique à sombra de Richie. A relação profissional entre eles é tensa, já que não concordam sobre a forma de comandar a gravadora durante a revolução musical em 1973.

 

Unbreakable Kimmy Schmidt é mais uma aposta da atriz e roteirista Tina Fey (Eric Liebowitz/Divulgação)
Unbreakable Kimmy Schmidt é mais uma aposta da atriz e roteirista Tina Fey
Comédia em novo formato

Um dos grandes nomes em torno da comédia americana é a atriz e roteirista Tina Fey (30 rock e Saturday night live), que voltou a atuar por trás das câmeras desde o ano passado com Unbreakable Kimmy Schmidt. Desde sexta-feira, a segunda temporada da trama está disponível na Netflix.

Apesar de sempre estar ligada ao  humor fácil, em Unbreakable Kimmy Schmidt, Tina brinca com o ar “sem noção” em torno da história e da protagonista.

A série mostra como Kimmy Schmidt (Ellie Kemper) toma um novo rumo na vida após ser libertada do cativeiro em que era mantida isolada por membros de um culto que diziam que o mundo vivia uma era apocalíptica.

O jeito perdido de Kimmy é o que torna a série engraçada— além, claro, da presença de um elenco afinado, com Tituss Burgess e Jane Krakowski.

A sequência mostra Kimmy em busca de um novo emprego, enquanto seu melhor amigo Titus continua tentando se tornar famoso. A nova temporada ainda contará com participações especiais de Anna Camp, Zosia Mamet e da própria Tina Fey.

 

Com prêmios televisivos, Mr. Robot chama atenção pela trama repleta de reviravoltas (Space/Divulgação )
Com prêmios televisivos, Mr. Robot chama atenção pela trama repleta de reviravoltas
Vida de hacker

Em novembro do ano passado, a série Mr. Robot chegou ao Brasil. O seriado é protagonizado por Rami Malek (Uma noite no museu), que dá vida ao jovem programador e hacker Elliot. Ele trabalha em uma empresa de segurança cibernética, mas se vê em um dilema quando a organização é invadida pelo grupo fsociety, que pretende fazer uma revolução digital apagando o registro de dívidas da população.

O seriado logo se tornou o queridinho da crítica pela trama intrigante. A boa estreia já garantiu  prêmios no Globo de Ouro e no Critic’s Choice Television Award.

Devido ao sucesso de crítica, a série já garantiu a segunda temporada, prevista para setembro deste ano. “Haverá mais história prévia a ser mostrada, a linha da temporada vai ficar mais clara —  não 100% claro, afinal qual seria a graça disso? É a  série preenchendo os espaços do passado e do presente do personagem, que fica mais alerta a respeito das desilusões pelas quais passou”, adiantou o criador Sam Esmai,l durante o TCA 2016 Winter Press Tour.

 

Serviço
American crime story: The people v. O.J. Simpson
Temporada completa, com 10 episódios, disponível no aplicativo Fox Play.

 
Vinyl
HBO. Domingo, à meia-noite. Hoje será exibido o último episódio. Também está disponível na HBO GO.

Unbreakable Kimmy Schmidt
As duas temporadas completas estão disponíveis na Netflix.


Mr. Robot
Primeira temporada, com 10 episódios, disponível no Space.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK