Brasília-DF,
16/DEZ/2017

Canais de tevê aberta estreiam novas tramas novelísticas

Record e Globo estreiam 'Escrava mãe' e 'Haja coração' no mesmo dia e horário. Quem levará a melhor?

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Vinicius Nader Publicação:29/05/2016 07:00Atualização:27/05/2016 15:18

 (Edu Moraes/Record)
 

 

A faixa das 19h30 estará dominada pelas novelas a partir desta terça-feira na tevê aberta. Isso porque nesse dia Record e Globo estreiam Escrava mãe e Haja coração, respectivamente. As duas tramas com pegadas diferentes — uma histórica e uma comédia — prometem disputar ponto a ponto a audiência do público. Confira as armas que cada uma vai usar para vencer essa guerra!


A expectativa em torno delas não é a mesma. Escrava mãe chega depois de ser adiada várias vezes e em meio a reclamações do elenco, que está esperando a novela, já toda gravada, ir ao ar para poder correr atrás de papéis em outras tramas. Jussara Freire, por exemplo, disse ter perdido uma personagem em Velho Chico por conta disso. Já Haja coração é a releitura de Sassaricando, um grande sucesso de Silvio de Abreu de 1987.


Vamos às tramas. Escrava mãe é uma novela de época escrita por Gustavo Reiz e dirigida por Ivan Zettel. A ação começa em 1789 em Angola, durante a vinda de negros que seriam escravizados no Brasil. Ao chegar aqui, um casal de escravos consegue fugir, mas ela está grávida de um homem branco que a violentou na África. A menina nasce branca e tem o passado escondido dela mesma na infância. Sim... Escrava mãe tem toques de Escrava Isaura, obra na qual é livremente inspirada.


O tempo passa e Juliana (Gabriela Moreyra) é criada na casa de coronel Custódio (Antônio Petrin) e Beatrice Avelar (Bete Coelho). Jurando se vingar dos homens brancos, Juliana acaba se traindo ao se apaixonar pelo português Miguel (Pedro Carvalho) — as chamadas da novela já adiantam banhos de rio do rapaz.
O elenco de Escrava mãe junta promessas como Gabriela e Pedro a nomes mais conhecidos como Zezé Motta e Jayme Periard, que também terão personagens-chave na trama.

Comédia

A leveza de Totalmente demais — novela que foi elogiada até por Gustavo Reiz na coletiva de Escrava mãe — será o mesmo caminho de Haja coração. A releitura de Sassaricando terá texto de Daniel Ortiz e direção de Fred Mayrink. O grande mote de Haja coração é a disputa entre as famílias Di Marino e Abdala. A primeira é liderada pela feirante Francesca (Marisa Orth) e a segunda, pelo rico empresário Aparício (Alexandre Borges). Ela acredita que ele está por trás do sumiço do marido dela, anos atrás. As famílias ainda contam com personagens interpretados por Cláudia Jimenez, Marcelo Médici, Tatá Werneck, Malvino Salvador e Mariana Ximenes, que será Tancinha, personagem que marcou a carreira de Cláudia Raia em Sassaricando.


Um trio que promete roubar a cena é o das amigas Leonora (Ellen Rocche), Rebeca (Malu Mader) e Penélope (Carolina Ferraz). As personagens anteriormente defendidas por Irene Ravache, Tonia Carrero e Eva Wilma renderam boas gargalhadas na primeira versão. Elas fazem uma aposta: a que se casar primeiro com um homem rico sustenta as outras. A partir daí, serão muitas confusões.

Drama, comédia. Atores iniciantes, nomes consagrados. Tramas conhecidas, conflitos inéditos. Não importa. Se o Brasil é mesmo o país das telenovelas, terça-feira começa um período de deleite para nossos telespectadores.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK