Brasília-DF,
20/OUT/2017

Vai ficar órfão de Game of thrones? Conheça mais sobre duas séries épicas

'Marco Polo' e 'O último reino' apostam nas tramas de histórias épicas

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Adriana Izel Publicação:26/06/2016 06:30Atualização:24/06/2016 16:24

Cena da série Marco Polo (Phil Bray/Divulgação)
Cena da série Marco Polo


Um dos maiores fenômenos da televisão atual é a série Game of thrones, que encerra a sexta temporada hoje na HBO. Um dos grandes motivos do sucesso do seriado está ligado ao fato de ser uma trama épica. Por conta disso, muitas emissoras têm apostado no filão. Para não se sentir órfão, confira algumas tramas que podem assumir o lugar de GoT em seu coração.


Em dezembro de 2014, a Netflix lançou Marco Polo, que tem como inspiração a história do explorador italiano e a passagem pelo Império Mongol, na Ásia do século 13. Criada por John Fusco, a produção foi uma das primeiras apostas da plataforma digital, porém, pela dificuldade nas gravações acabou chegando ao serviço depois de sucessos como House of cards e Orange is the new black. A partir de 1º de julho será lançada a segunda temporada do drama.


Também inspirada em uma produção épica, a série O último reino, do canal History Channel, retrata a história dos livros da saga Crônicas saxônicas, de Bernard Cornwell, sobre a Grã Bretanha dos séculos 9 e 10. A primeira temporada está sendo exibida e uma sequência já está confirmada.

Batalha dos reinos

Cena da série O último reino (Joss Barratt/Divulgação)
Cena da série O último reino

Lançada neste ano pelo canal History Channel, a série O último reino se inspira na obra de Bernard Cornwell sobre a Grã Bretanha, batalha entre saxões e nórdicos e o surgimento da Inglaterra. A primeira temporada é baseada na primeira parte do livro homônimo e se passa em 872, quando os reinos independentes eram dominados pelos vikings.


A história acompanha o protagonista Uhtred, vivido pelo ator alemão Alexander Dreymond, que após perder o pai, um nobre saxão, é capturado por um viking dinamarquês. Apesar de ter crescido como um viking, sua lealdade será testada quando terá que decidir entre o país que nasceu e o povo que o criou.


No desenrolar da ficção, é narrada a luta do Reino de Wessex, o último bastião dos saxões frente às invasões vikings do século 9, antes da unificação de todos os reinos, que dariam origem à Inglaterra.


Aventuras de um explorador

Buenos Aires – Marco Polo chegou à Netflix em 2014. Dois anos depois, a plataforma divulga a sequência, que terá 10 episódios e estará disponível a partir de 1º de julho no serviço de streaming. A segunda temporada chega alguns meses depois da divulgação do filme Marco Polo: Cem olhos.

 

A série acompanha o explorador italiano Marco Polo (Lorenzo Richelmy). Após ter sido deixado pelo pai como pagamento ao imperador Kublain Khan (Benedict Wong), ele começa a aprender a cultura do povo Mongol e a entender as atitudes dentro do Império.   


Na segunda temporada, ele é nomeado um dos cavaleiros da Ordem Mongol e lutará por Kublain Khan em uma guerra para manter o império mongol, ameaçado pelo Lorde Kaidu (Rick Yune). “Há uma evolução do personagem. Como atores, nos divertimos mais. Também há ainda mais drama na história”, revela Richelmy ao Correio.


A sequência terá novos personagens. Um dos mais aguardados é o papel da atriz Michelle Yeoh, The Handmaiden. “Fazer uma série com ela foi um sonho realizado. Ela participar dessa temporada nos deixou ainda mais animados”, explica o ator Tom Wu, o  Cem olhos.

A repórter viajou a convite da Netflix

Duas perguntas Lorenzo Richelmy, o Marco Polo:

 (GABRIEL BOUYS)

Seu personagem, o Marco Polo, e o mestre Cem Olhos têm uma relação bem interessante. Como foi construí-la?


Acho que você conhece melhor uma pessoa quando malha com ela. (risos) Nós ensaiamos muito juntos, ficamos pensando sobre as falas, a linguagem dos personagens. Tudo isso é muito importante na história. Eles têm essa relação de mestre e aprendiz na primeira temporada. Na segunda, você verá uma evolução. É bonito ver a maturidade nessa relação.

O que você aprendeu da primeira para a segunda temporada?


Eu me preparei mesmo para a primeira temporada, já que tudo é baseado no livro. Claro que há uma evolução nos personagens. Ele era um emergente. Eu acho que estranho que a gente não saiba nada sobre o maior império que existiu no mundo. Isso não é ficção, isso é história.

Curiosidades

Por ser uma grande produção, as gravações foram feitas em três países Malásia, Hungria e Eslováquia —  um país a menos que a primeira temporada que contou com a Itália – e foram encerradas em dezembro do ano passado.

A série se inspira nos documentos e manuscritos do explorador Marco Polo, mas, claro, também existe uma licença poética. “É uma história complexa. Você não tem como saber o que é verdade e o que é mentira, porque são muitos anos de histórias. Nos seguimos a obra mais realista, que é muito descritiva. Essa base você encontra na história”, conta Richelmy.

O personagem Cem Olhos, que é o mestre de Marco Polo, ganhou uma produção própria, o filme original da plataforma Marco Polo: Cem olhos, lançado em dezembro do ano passado. A obra já está com uma sequência confirmada segundo o ator Tom Wu.

 

SERVIÇO
Marco Polo
Estreia em 1º de julho a segunda temporada, com 10 episódios, na Netflix.

O último reino
Aos domingos, às 21h, no History Channel.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK