Brasília-DF,
21/SET/2017

Animações com temas para adultos é sucesso nas séries

Tradicionalmente uma forma de entretenimento infantil, desenhos atuais têm desafiado a norma. Conheça títulos que agradam aos adultos

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Samir Mendes - Diversão & Arte Publicação:31/07/2016 07:00Atualização:29/07/2016 13:55

O absurdo de BoJack horseman, show sobre um cavalo falante e alcoólatra, é receita para muitas risadas (Netflix/Divulgao)
O absurdo de BoJack horseman, show sobre um cavalo falante e alcoólatra, é receita para muitas risadas


Desde que o primeiro desenho animado, Fantasmagorie, criado por Émile Courtet, foi projetado em 1908, em Paris, tal forma de entretenimento tem sido tradicionalmente associada às crianças. Empresas como Disney, Warner Bros., Pixar, entre outras, se especializaram em criar mundos encantados e icônicos animais falantes com o objetivo de deslumbrar e ensinar os pequenos. Esse não é o caso de BoJack horseman, animação original da Netflix, cuja terceira temporada está disponível desde a última semana.

Criada por Raphael Bob-Waksberg, a série acompanha a vida de um cavalo falante, ator decadente que, após ter participado de uma série bem-sucedida, tenta reencontrar sucesso e felicidade. Situado em um mundo em que animais falantes interagem — de todas as formas possíveis — com humanos, o desenho conta com temáticas bastante adultas, como sexo, drogas e desilusões de todo tipo de natureza — tudo com muito humor, é claro.

Além da estranheza de observar animais passando por crises existenciais bastante humanas, outra atração da animação são os atores que emprestam vozes para os personagens. BoJack Horseman é dublado por Will Arnett (também um produtor executivo do programa), conhecido por sua participação na série Arrested development. Já a humana Diane, interesse romântico de BoJack, é comprometida com o cão Mr. Peanutbutter, rival de Horseman e também uma antiga estrela de tevê tem a voz de Alison Brie, da série Community. Aaron Paul, o Jesse de Breaking Bad, dubla Todd, o companheiro de quarto/parasita de BoJack.

Na terceira e atual temporada, a montanha-russa de emoções que levam o telespectador do momento mais deprimente até o mais hilário é elevada a níveis ainda mais bizarros. Apesar de BoJack ter conseguido recuperar muito da fama que sempre perseguiu, ele continua a ter comportamentos destrutivos, provando que o desenho não é totalmente desprovido de reflexões ou ensinamentos. “A série é perversamente engraçada e frequentemente devastadora. Ela é provocadora o suficiente para incomodar e sem medo de arriscar, mesmo quando parece não haver esperança para seus personagens”, escreveu o site Vox em crítica da terceira temporada.

 

Serviço
BoJack horseman
1ª, 2ª e 3ª temporadas disponíveis por streaming no NetflixSem limites


Sem limites

 

Kyle, Stan, Kenny e Cartman na fictícia South Park: Respeito zero a instituições (Comedy Central/Divulgação)
Kyle, Stan, Kenny e Cartman na fictícia South Park: Respeito zero a instituições
BoJack horseman pode pegar bem pesado em diversos momentos, no entanto, é difícil competir com South park em matéria de provocação. Criado por Trey Parker e Matt Stone, o desenho que traz os amigos Kyle, Stan, Kenny e Cartman como protagonistas já conseguiu irritar os chineses ao representá-los com os estereótipos mais preconceituosos possíveis; incomodar a “tradicional família americana” com um episódio em que a palavra m... foi repetida 162 vezes; despertar a ira de líderes cristãos ao fazer paródias de Jesus e fazer piadas com sexualidade infantil; além de outras inúmeras polêmicas com deficientes físicos, como o ator Christopher Reeve ou pela presença do personagem Timmy, figuras recém-falecidas etc.


Apesar do humor ácido e, por vezes, considerado apelativo, o sucesso da série é inegável: o programa já ganhou inúmeros prêmios e estreará sua 20ª temporada em setembro deste ano.

 

Serviço

South Park
De segunda a sexta, das 5h10 às 6h; das 7h45 às 11h15; das 13h15 às 14h; das 17h15 às 17h45; e das 18h5 às 18h30, no canal Comedy Central

 

Problemas de família

Humor ácido de Family guy rendeu três prêmios Emmy à série (FX/Divulgao)
Humor ácido de Family guy rendeu três prêmios Emmy à série
Ofensas parecem ser a receita de sucesso para desenhos adultos. Assim como South park, Family guy, conhecido no Brasil como Família da pesada, criada por Seth McFarlane, é também um sucesso de crítica e público, vencendo três prêmios Emmy e se encaminhando para a 15ª temporada, além de alguns spin-offs na forma de filmes e DVDs. Com um humor ácido e por meio dos Griffin, Family guy é uma sátira da típica família americana, fazendo os Simpsons parecerem Os ursinhos carinhosos.


Entre os temas polêmicos de Family guy estão uma campanha pela liberação da maconha, na quarta temporada; aborto; uma briga pela liberação do casamento gay, protagonizada por Brian; abuso de drogas; e maus-tratos contra os animais. Além do cachorro Brian, o patriarca Peter e o bebê Stewie e suas tendências assassinas são alguns dos destaques da série.

 

Serviço

 

Família da pesada

Toda segunda-feira, à 1h45, no canal FX 

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK