Brasília-DF,
15/DEZ/2017

Novela 'Pai herói' foi transmitida em 1979 e bateu recordes de audiência

Novela de Janete Clair estreou com a responsabilidade de substituir 'Dancin' days' e tinha nomes como Paulo Autran, Tony Ramos e Elizabeth Savalla no elenco

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Vinicius Nader Publicação:14/08/2016 06:30Atualização:12/08/2016 18:32
Casal interpretado por Elizabeth Savalla e Tony Ramos levou crianças a serem batizadas de Carina e André em todo o Brasil (Arquivo/TV Globo)
Casal interpretado por Elizabeth Savalla e Tony Ramos levou crianças a serem batizadas de Carina e André em todo o Brasil

Imagine os créditos de uma novela com os nomes de Paulo Autran, Glória Menezes, Tony Ramos, Rosamaria Murtinho, Elizabeth Savalla, Beatriz Segall e Jonas Bloch. No campo reservado ao autor, a maior de todas as novelistas brasileiras, Janete Clair. Assim era Pai herói, que teve 178 capítulos exibidos entre janeiro e agosto de 1979.
 
Pai herói já estreou com um enorme peso nas costas: substituir o grande sucesso Dancin’ days. Por isso, a emissora não mediu esforços e escalou tantas estrelas juntas. Deu certo: a trama repetiu a repercussão da antecessora.
 
Embalado pela música Pai, na voz de Fábio Jr., André Cajarana (Tony Ramos) tem como principal objetivo de vida limpar a honra do pai dele, acusado de um crime que não cometeu. O rapaz tem, então, que reencontrar a mãe, Gilda (Maria Fernanda), com quem não falava há mais de uma década. A decepção de André aumenta quando ele descobre que Gilda está casada justamente com o homem que arruinou a vida do pai dele, o mafioso Bruno Baldaracci (Paulo Autran).
 
Percorrendo as pistas para provar a inocência do patriarca, André se divide entre o amor da batalhadora dona de uma casa de gafieira Ana Preta (Glória Menezes) e a bailarina clássica Carina Brandão (Elizabeth Savalla). Como Tony e Elizabeth já haviam sido um par romântico em O astro, também de Janete Clair, a torcida do público era pelo casal vivido por eles também em Pai herói.
 
Além do triângulo amoroso, uma trama de mistério envolvia a novela. O ex-marido Carina, César (Carlos Zara), foi assassinado. Muitos eram os personagens que tinham motivo para matá-lo. Entre eles, André, que havia sido acusado por César de um assalto que não cometeu; Carina, que havia perdido a guarda da filha para ele e foi empurrada por ele de um carro em movimento; Bruno, que disputava com ele posições importantes na máfia; e mais Walkíria (Rosamaria Murtinho), Hilário (Reinaldo Gonzaga),  e Gustavo Gurgel (Cláudio Cavalcanti).
 
No último capítulo, quando todos esperavam o desfecho do crime, uma surpresa. Janete Clair não revelou o assassino e deixou no ar o mistério. Mais tarde, em entrevistas, a autora disse que o único personagem que teria coragem de matar César seria Bruno. O último episódio ainda teve o final feliz de André e Carina e uma cena emblemática na qual Ana Preta desfila na escola de samba Beija-Flor de Nilópolis. O sucesso de Pai herói chegou a outros países, como Argentina, Estados Unidos, Itália, Panamá e Portugal, entre outros.
 
 
Curiosidades

Dedicação
Elizabeth Savalla se entregou à personagem Carina. Ela emagreceu e chegou a pesar 48kg, além de ter aulas com a bailarina Eugênia Feodorova.

No rádio
Antes de chegar à tevê, a trama de Pai herói foi transmitida pela Rádio Nacional com o título Um estranho na terra de ninguém.

De volta
Ficou com vontade de rever Pai herói? Há duas opções: a novela de Janete Clair acaba de ser lançada numa caixa com 13 DVDs e será reexibida pelo canal Viva a partir de 17 de outubro, na faixa das 23h45.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK