Brasília-DF,
24/SET/2017

Relembre a vida e carreira do ator Rogério Cardoso

Ator Rogério Cardoso abrilhantou novelas e humorísticos, sempre com muita graça

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Vinicius Nader Publicação:30/10/2016 06:02

Rolando Lero apareceu em várias temporadas de Escolinha do Professor Raimundo

 (TV Globo/Reprodução)
Rolando Lero apareceu em várias temporadas de Escolinha do Professor Raimundo

Não importava se era em novelas, em programas humorísticos, nos palcos ou nas telonas. Rogério Cardoso sempre arrancava gargalhadas no público. O comediante paulista morreu em julho de 2003, aos 66 anos de idade, deixando tipos inesquecíveis como Floriano (A grande família), Salgadinho (Explode coração) e Rolando Lero (Escolinha do Professor Raimundo). Ele faleceu em casa, vítima de um enfarte fulminante.

 

Ainda na década de 1960, Rogério estreou na tevê, quando foi contratado pela Excelsior para ser coadjuvante em A cidade se diverte, Moacyr Franco Show e Times Square. Nos anos 1970, transferiu-se para a Record e integrou o elenco de Praça da alegria, espécie de avó do A praça é nossa. Mas não foi nenhum desses o primeiro grande sucesso de Rogério. Até nisso a vida dele parecia piada: a primeira vez que o comediante ficou nacionalmente famoso foi por aparecer num comercial do carro Variant, em 1970.

 

Em 50 anos de carreira, foi na Globo que ele alcançou o grande público e o status de estrela do humor. O primeiro estouro veio com Rolando Lero, personagem que ele interpretou na Escolinha do Professor Raimundo, de 1990 a 1995, e, depois, em 2001. Dono do bordão “amado mestre”, o personagem enrolava o professor para que ele desse dicas da resposta correta (“captei vossa mensagem, ó imensurável guru!), mas a estratégia não dava certo porque ele não entendia os sinais. Incrível era ver o quanto Rogério ria em cena e divertia tanto o público como os colegas.

 

Como o Brasil é o país das novelas, foi num folhetim que Rogério experimentou verdadeiramente o reconhecimento do público. Em Explode coração, ele vivia o popular Salgadinho (1995), na qual atuava ao lado de Regina Dourado. O tipo suburbano ouvia o bordão “stop, Salgadinho” a cada malandragem que aprontava.

 

O último trabalho de Rogério na tevê também foi marcante. Ele ainda estava no ar como seu Floriano de A grande família quando morreu. Abalados, atores como Marieta Severo, Marco Nanini e Guta Stresser prestaram a última homenagem a ele no episódio exibido no dia em que Rogério faleceu. Guta dizia que Rogério era como um avô para ela e para o Brasil inteiro.

 

Ao mesmo tempo que estava em A grande família, Rogério aparecia no Zorra total em esquetes de Epitáfio e Santinha ao lado de outra grande comediante: Nair Belo. Conta-se que os bastidores das gravações eram uma explosão de gargalhadas. Assim deve continuar sendo.


Saiba mais

 

Política
Quando terminou Explode coração, Rogério estava com a popularidade em alta. Tanto que se elegeu vereador pelo PFL do Rio de Janeiro em 1996, usando o nome do personagem como chamariz.


Mundo bem melhor
Além de ator e dublador, Rogério era compositor. Mais de uma geração certamente já cantou a versão que ele assina para It’s a small world, que recebeu o nome Pequeno mundo por aqui. Não se lembra? É aquela que diz “há um mundo bem melhor/ todo feito pra você/ é um mundo pequenino/ que a ternura fez”.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK