Brasília-DF,
11/DEZ/2017

Você se lembra? Adaptação do 'A vida como ela é' foi sucesso na tevê

Baseado nas crônicas cheias de malícia de Nelson Rodrigues, A vida como ela é trazia situações do cotidiano com um time de grandes atores

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Alexandre de Paula- Especial para o Correio Publicação:27/11/2016 06:30Atualização:25/11/2016 17:31
Guilherme Fontes e Malu Mader eram algumas das estrelas do elenco do seriado (Reprodução internet)
Guilherme Fontes e Malu Mader eram algumas das estrelas do elenco do seriado

Baseada em contos e crônicas que Nelson Rodrigues escrevia no jornal Última hora, entre os anos de 1951 e 1961, a série A vida como ela é foi uma produção da Rede Globo exibida no Fantástico em 1996. Foram 40 episódios adaptando textos do Anjo Pornográfico, cada um deles com oito minutos.

A duração dos episódios, inclusive, era um dos desafios do projeto. Transformar as histórias cotidianas e cheias de malícia de Nelson Rodrigues para um tempo tão curto poderia ser complicado.

Daniel Filho, diretor da atração, comentou justamente isso no livro O circo eletrônico. “Sobre o texto de A vida como ela é basta dizer que Nelson Rodrigues é a melhor escola em que qualquer autor pode querer estudar. A dificuldade era contar bem a história em sete ou oito minutos. E Euclydes Marinho acertou na mosca!”

Reduzido, o elenco trazia quase que só estrelas, que se revezavam em cada episódio. Malu Mader, Tony Ramos, Maitê Proença, Cássio Gabus Mendes, Laura Cardoso, José Mayer, Guilherme Fontes e Antônio Calloni eram alguns deles. Além da narração de Hugo Carvana, no primeiro episódio, e de José Wilker nos outros.

Sem especificar datas, o enredo se passava provavelmente entre os anos 1950 e 1960, com um cenário que sugeria a época, mas deixava margem também para inserções contemporâneas. Cada episódio contava uma história completa de Nelson,  que trazia temas como adultério, morte, desejos reprimidos, ciúmes e amores passionais.

Gravada toda em 35mm, a série tinha uma pegada cinematográfica, que ficava evidenciada principalmente pelos enquadramentos e pela luz da fotografia de Edgar Moura. Parte do figurino era compartilhado pelos atores. A figurinista Marília Carneiro teve ideia de criar uma arara com camisas brancas e saias pretas (já que todos os atores tinham tipos físicos parecidos) que poderiam ser usados pelo elenco.

Curiosidades
Música
A trilha sonora que acompanhava os episódios tinha nomes brasileiros, como as cantoras Elis Regina, Maysa e Nana Caymmi, e internacionais, como Ray Charles.

De novo
A série foi reapresentada na Globo em outras duas ocasiões. Primeiro em janeiro de 1997, aos sábados. Depois, em julho de 2001, depois do Programa do Jô.

Na tevê
A vida como ela é não foi a única adaptação de Nelson Rodrigues para a televisão. A novela O homem proibido e as minisséries Meu destino é pecar e Engraçadinha também se basearam em textos do autor.





COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK