Brasília-DF,
22/AGO/2017

Blota Filho encanta crianças no papel do mal-humorado Silvestre

Aos 56 anos, e mais de 25 de carreira, o ator está no ar como um mordomo na novela 'Carinha de anjo', do SBT

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:05/02/2017 06:12
Blota Junior comemora a repercussão de Silvestre: %u201Cas crianças acham o vilão engraçado%u201D ( Lourival Ribeiro/Divulgação)
Blota Junior comemora a repercussão de Silvestre: %u201Cas crianças acham o vilão engraçado%u201D
“Eu queria ser ator desde pequeno. Sempre gostei de aparecer.” É assim que Blota Filho responde uma das perguntas mais feitas às crianças, a clássica “O que você quer ser quando crescer?”. E ele conquistou o desejo de infância que traz realização à vida dele há quase 25 anos. E jogou a carreira no serviço público para o alto quando resolveu se tornar ator.“Eu era produtor e modelo. Tinha um salário estável, mas não era feliz com aquilo. Fico preocupado quando um contrato acaba, é normal, mas não me arrependo”, afirma.
 
O ator, que teve as primeiras aparições na tevê como figurante, agora é um dos queridinhos da criançada pelo papel do mal-humorado mordomo Silvestre, na novela Carinha de anjo. “Acho que veem nele uma criança mal-humorada. Se ele fosse sisudo e chato, ninguém ia gostar, mas ele é engraçado no que faz. Além disso, criança gosta do vilão, eles são sempre cômicos e o Silvestre não é diferente”, explica Blota.
 
Ele define o personagem como “garoto enxaqueca” e defende o fato de ele ser como é. “O Silvestre já tomou tanta lambada na vida que começou a se fechar e se tornar mais certo e racional”, conta. Mas ele também adianta que o mordomo tem um segredo, que nem a autora da novela, Leonor Corrêa, sabe ainda qual é, mas que vai mostrar um outro lado: “Quando ele contar a vida dele, ele se solta.”
 
Com todas as técnicas teatrais ensinadas pela mãe, Blota Filho viveu grandes papéis no teatro em textos como Diário de um mago e Nuvem de lágrimas. Na tevê, a primeira novela foi Pérola negra, que só entrou no ar um ano e meio após a gravação. Mas o que o consagrou na profissão foi a participação no seriado Sandy & Junior, como o professor Camilo.
 
Ao lado do elenco de 'Carinha de anjo', o ator se diverte em cena ( Lourival Ribeiro/Divulgação)
Ao lado do elenco de 'Carinha de anjo', o ator se diverte em cena
 

Três perguntas // Blota Filho 

Qual o papel mais marcante da sua carreira?
O Camilo de Sandy & Júnior foi o que mais me exigiu por ser um personagem mais longo e foi também quem me lançou para o Brasil. Mas o que mais gostei foi uma participação em Sete pecados. Eu era presidente de uma ONG de soropositivos e fui dar uma palestra na escola da Gina, que era interpretada pela Carla Diaz e que contraiu a doença por uma transfusão de sangue. É uma grande coisa quando você tem oportunidade de ensinar algo para o público, deixar claro que o preconceito não serve para nada. Foi um papel que me emocionou muito.

Você prefere fazer teatro ou tevê?
Prefiro trabalhar (risos). Os dois são diferentes, as técnicas são diferentes. Na tevê é tudo muito rápido, em um momento você chora e daqui a pouco grava uma cena em que está muito feliz. O teatro exige mais estudo, não que tevê não exija, mas o tempo de preparo é maior e você consegue trabalhar mais no personagem, propor novas coisas.

Você sempre morou em São Paulo e ama a cidade. O que você gosta de fazer em São Paulo? 
Andar na Av. Paulista. Ela é a síntese da cidade, o centro financeiro, opções de cultura e gastronomia, é uma cidade numa avenida. Mas também amo de paixão a 25 de março. Sento no chão, como o abacaxi que já está quase cozido do sol, converso com as pessoas, é uma delícia!

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK