Brasília-DF,
21/SET/2017

Você se lembra? Vamp fez sucesso com o público jovem nos anos 1990

Com muitas cenas de ação e uma trama que envolvia rock, praia e vampiros

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Ataide de Almeida Jr. Publicação:22/02/2015 08:07Atualização:20/02/2015 12:49
Vlad e Natasha eram os destaques da atração (Arquivo TV Globo)
Vlad e Natasha eram os destaques da atração
Uma mistura de rock, praia e vampiros não pareceu nem um pouco inusitada para o autor Antonio Calmon, em 1991, quando entrava no ar a novela Vamp. Pelo contrário, a excentricidade fez sucesso e conseguiu atrair um público que andava afastado da teledramaturgia, os jovens. A trama se passava em Armação dos Anjos, cidade fictícia no litoral carioca, e contava a história do capitão reformado da Marinha Jonas Rocha (Reginaldo Faria) e da historiadora Carmem Maura (Joana Fomm). Ambos são viúvos e têm seis filhos cada. A vida deles começa a mudar com a chegada da estrela do rock Natasha (Claudia Ohana), que vendeu sua alma ao líder dos vampiros, Vladimir Polanski, ou Vlad, vivido por Ney Latorraca.

]Para se livrar da maldição, Natasha tem que destruir Vlad. Para isso, precisa encontrar a Cruz de São Sebastião, que está escondida em Armação dos Anjos. No entanto, quem deve matar o vampiro é Jonas, que, em vidas passadas, foi amante de Natasha. Com a perseguição a Vlad, a cidade se enche de outros vampiros, o que dá início a uma briga entre o bem e o mal.

O que dava graça e atraía os jovens para Vamp eram as sequências rápidas das brigas, como se estivessem em videoclipes; os efeitos especiais, que, apesar não muito bons, era o que tinha de melhor à época; e, claro, os atores que davam vida aos personagens. O maior destaque nesse campo vai para Ney Latorraca. Na pele de Vlad, o ator seguiu numa linha mais cômica, sem perder o lado malvado.

Destaque também para a família de vampiros composta por Matoso (Otávio Augusto), Mary (Patrícia Travassos), Matosão (Flávio Silvino) e Matosinho (André Gonçalves). Os quatro foram responsáveis pelas cenas mais engraçadas da novela.

Vamp também contou com um elenco jovem forte, como Fábio Assunção, Fernanda Rodrigues e Amora Mautner (que, mais tarde, virou diretora de novela), e várias participações especiais, entre elas Rita Lee. O sucesso foi tanto que a trama foi reexibida em 1993 na programação de férias da emissora. Mais tarde, foi apresentada outra vez no canal por assinatura Viva.

Abertura

Quem não se lembra dos versos: "Luzes da cidade. Meus olhos não aguentam mais. Luzes artificiais. E cadê a noite preta? Eu saio da cidade. Procuro só a escuridão. A purificação na calada da noite. Da noite preta". Era essa a música de abertura da novela Vamp, interpretada por Vande Leonel. A canção faz parte do primeiro disco da cantora, que lançou mais dois, em 1996 e 1999. Ela morreu no ano passado vítima de complicações de um câncer de ovário.

Caracterização

O que chamou bastante a atenção à época foi a caracterização dos personagens. Segundo o site Memória Globo, o visual de Natasha foi inspirado nas histórias em quadrinhos, sempre com muito veludo, cotton-lycra e vinil. Isso foi reflexo de uma forte tendência gótica que surgiu nos anos 1990. Já para os dentes, foram utilizadas próteses - com relatos que incomodavam muito durante as cenas.

 (Arquivo/TV Globo)

O erro do vampiro

Em 2002, o autor Antonio Calmon retornou com uma trama que envolvia vampiros. Apesar de tentar fugir da consagrada novela, O beijo do vampiro não emplacou. Segundo o autor, ele tentou atrair mais público e fez com que os personagens fossem politicamente corretos. Os vampiros, então, não amedrontavam as pessoas.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK