Brasília-DF,
24/SET/2017

Você decide deu poder ao público de interferir no desenrolar das tramas

Com aposta na interatividade, a atração contou com 323 episódios ao todo

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Ataide de Almeida Jr. Publicação:26/07/2015 06:07
Tony Ramos na apresentação do Você Decide (TV Globo/Reprodução)
Tony Ramos na apresentação do Você Decide
A interatividade sempre foi uma das opções para as emissoras consiguirem atrair os telespectadores - para que eles se sintam como parte do show. Isso ocorre, atualmente, com os reality shows. Basta enviar um SMS, votar no site ou até mesmo um tuíte com uma hashtag para decidir o futuro de alguém ou os rumos da atração. Um dos programas pioneiros em pedir essa ajuda do público foi o Você decide, criado em 1992 que teve, até 2000, 323 episódios.

O idealizador do programa foi o ator Paulo José, que queria fazer uma radiografia moral do brasileiro. Assim, o Você decide apresentava histórias com vários assuntos polêmicos para a época, como homossexualismo, traição, sexo, machismo, aborto e corrupção.

A mecânica do Você decide era simples. Uma história era apresentada durante os primeiros blocos. Em determinado ponto, o público era convidado a escolher como deveria ser o desenrolar do episódio. Por exemplo, em um dos capítulos, o telespectador tinha que escolher se o pai deveria ou não entregar o filho à Polícia após ele ter cometido um crime. Por meio de um telefone 0800, quem estava em casa votava na opção desejada e aguardava para ver qual seria o final escolhido pela maioria.

Além da interatividade, o programa tinha como trunfo o apresentador. As primeiras temporadas contavam com o ator Antônio Fagundes à frente da atração. Em um cenário simples havia duas colunas - uma escrita “sim” e a outra “não” - e um contador, mostrando os votos do público, Fagundes era responsável por explicar a dinâmica da votação e dar o tom da história. Era comum pontuar sempre com a frase: “O final, você decide”.

Além de Antônio, passaram por lá Tony Ramos, Lima Duarte, Raul Cortez, Susana Werner, Carolina Ferraz e Luciano Szafir. Havia ainda, no começo, repórteres na rua para colher ao vivo a opinião das pessoas.

O programa foi perdendo o ritmo e as boas histórias ao longo do tempo. As constantes mudanças de horário também atrapalharam. O último capítulo foi ao ar em 17 de agosto de 2000.

Reprise
Em 2001, a TV Globo decidiu colocar o Você decide dentro do Vale a pena ver de novo. Isso porque a audiência do horário estava abaixo do esperado. No entanto, a estratégia fracassou, e o programa marcou menos audiência que a novela. Naquela época, a apresentação ficou a cargo de Suzana Werner, que tinha a missão de dar uma cara mais jovem à atração. Foram reprisados 15 episódios, e o público escolheu exatamente os mesmos finais de quando foi transmitido originalmente.

Portugal
O formato do programa foi vendido para vários países. Em Portugal, António Sala, famoso locutor e cantor de Lisboa, comandou o Você decide quando foi ao ar pela rede RTP 1. A partir de 1998, a atração foi comprada pela SIC, que colocou o conhecido José Figueiras na apresentação.

Polêmica
Uma dos episódios foi parar na Justiça e não pode ser exibido. O capítulo era inspirado na história de Marli Pereira Viana que, na década de 1970, provou a participação de um policial na morte do irmão. Ao saber que isso poderia ir ao ar, a própria Marli entrou com um pedido para que a trama não fosse veiculada por achar que iria expor demais a vida dela. O episódio se chamava Sob o domínio do medo.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK