Brasília-DF,
26/JUN/2017

Michel Teló conta a história da música caipira no espetáculo 'Bem sertanejo'

Musical estrelado pelo cantor vai dos primórdios do sertanejo até os dias atuais

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Irlam Rocha Lima Publicação:19/05/2017 06:00Atualização:18/05/2017 16:35
Roteiro do espetáculo relembra clássicos e inclui sucessos de hoje (LenisePinheiro/Divulgacao)
Roteiro do espetáculo relembra clássicos e inclui sucessos de hoje

Dos violeiros que integravam as comitivas e saíam pelas estradas empoeiradas dos rincões do país, tocando música caipira, aos astros dos megashows, de características pop, apresentados atualmente nas grandes cidades. São esses os personagens de Bem sertanejo —  O musical, espetáculo que vem atraindo grandes plateias em várias capitais brasileiras. No fim da semana passada, por exemplo, lotou por três noites o requintado Theatro Municipal do Rio de Janeiro.
 
Neste fim de semana, a peça que conta a trajetória da música sertaneja pode ser apreciada pelo brasiliense no Centro Internacional de Convenções do Brasil. Escrita, roteirizada e dirigida por Gustavo Gasparani —  o mesmo de Sambra —  a peça conta com direção musical e arranjos de Marcelo Alonso Neves, coreografia de Renato Vieira, cenografia de Gringo Cardia e luz de Maneco Quinderé.
 
Bem sertanejo marca a estreia de Michel Teló como ator. Na condição de protagonista, o cantor, compositor e acordeonista está à frente de um elenco formado por 10 nomes do teatro musical brasileiro e de uma banda de 8 músicos.
 
“Eu queria, na realidade, que o musical contasse a história de forma verídica e com todo respeito que a música sertaneja merece. O Gustavo foi brilhante ao escrevê-la. Fiz questão que contemplasse a trajetória desde lá de trás com Cabloca Tereza, Chico Mineiro e todos os clássicos, até Chitãozinho & Xororó, Zezé & Luciano”, explica Teló, responsável por elogiável performance em cena.


Duas perguntas // Gustavo Gasparani


Como o universo da música sertaneja despertou o interesse de um carioca?
Na infância e na adolescência, queria ser veterinário e, no período das férias escolares, ia com a família para uma fazenda no interior de São Paulo. Lá, ouvia num radinho músicas de Tião Carreiro e Tonico & Tinoco.

Em que se baseou para a história do Bem sertanejo?
Sempre valorizei o campo, em especial a música caipira. Quando fui convidado para criar um musical sobre o universo sertanejo, tinha muito daquilo em minha memória. Mas, para falar com mais propriedade de um sertão mítico, onde o erudito se encontra com alma popular, para criar a identidade de um povo, me inspirei na obra de Guimarães Rosa, Mário de Andrade, Tarsila do Amaral, Heitor Villa-Lobos, Monteiro Lobato, Mazzaropi e Rosa Nepomuceno.
 

Roteiro musical do espetáculo

Folia de reis (Roque Ferreira)
Calix Bento
Trenzinho caipira (Villa-Lobos)
Comitiva esperança (Almir Sater)
Boiadeiro errante
Boiada (Daniel)
Cana verde (Tonico e Tinoco)
Um violeiro toca (Almir Sater e Renato Teixira)
Chora viola (Lourival dos Santos e Tião Carreiro)
Tristeza do Jeca (Angelino de Oliveira)
Luar do Sertão (João Pernambuco e Catulo Dapaixão Cearense)
Azulão (jayme Ovalle e Manoel Bandeira)
Tropeiro (Milionário e Zé Rico)
Moda da onça (Folclore popular)
Espingarda papapá (Alvarenga e Ranchinho)
Nois é jeca mais é joia
Tá nervoso...vai pescar!, Chuá, chuá e Rio de lágrimas.
Chalana (Mário Zan e Arlindo Pinto)
Chuá Chuá (Cascatinha E Inhana)
Romaria (Renato Texeira)
Deus e eu no sertão (Vitor e Leo)
Menino da Pprteira
Cio da Terra
No mesmo olhar
Cio da Terra
Trenzinho caipira (Villa-Lobos)
Mágoas de boiadeiro e peão (Almir Sater)
Trem de Alagoas  (Ascenso Ferreira)
Disparada e boiadeiro
Chico mineiro (Tonico e Francisco Ribeiro)
Cabocla Tereza (Raul Torres e João Pacífico)
Marvada pinga
Poeira vermelha
Índia
Flor de cafezal
Estrada da vida
Saudades da minha terra
Fio de cabelo
Entre tapas e beijos
É o amor
Nuvem de lágrimas
Não aprendi aizer adeus
Faz mais uma vez comigo
Pensa em mim
Evidências
Festa de rodeio
Peão apaixonado
Balada (Tchê Tchê Rere) 
Mineirinha ferveu e Moreninha linda
Amo noite e dia  
Na hora da raiva
Vide dida marvada (Rolando Boldrin)
Tocando em frente
Ai, se eu te pego
Caipira 
 
SERVIÇO
Bem Sertanejo
No Centro Internacional de Convenções do Brasil (próximo à Ponte JK).Hoje, às 21h; amanhã, às 17h (sessão extra) e às 21h; e domingo, às 20h. Ingressos: R$ 220 (cadeira premium), R$ 180 (cadeira central), e R$ 50 (cadeira superior promocional). Meia-entrada para estudantes e pessoas com idade a partir dos 60 anos. Classificação indicativa livre.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES