Brasília-DF,
19/SET/2018

Cena Contemporânea traz as últimas peças neste fim de semana

O festival Cena Contemporânea deste ano chega ao fim depois de trazer várias peças premiadas

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Isabella de Andrade - Especial para o Correio - Publicação:01/09/2017 06:00Atualização:31/08/2017 18:15
Cena de 'Vaga carne' da atriz, diretora e dramaturga Grace Passô  (Reprodução/Internet)
Cena de 'Vaga carne' da atriz, diretora e dramaturga Grace Passô
Depois de duas semanas repletas de espetáculos premiados, teatros lotados, preconceitos colocados em cena e muita reflexão, o festival Cena Contemporânea chega ao fim. Para este final de semana, dois espetáculos do Distrito Federal e quatro nacionais estão em cartaz, incluindo a volta do performer Maikon K, com DNA de DAN, depois de ter sido impedido pela polícia em passagem anterior pela capital.
 
Cena do espetáculo 'DNA de Dan' (VictorTakayama/Flagcxiv)
Cena do espetáculo 'DNA de Dan'
Um dos nomes mais importantes do teatro atual, o diretor Aderbal Freire Filho comparece com A paz perpétua. Entre os atores que sobem ao palco está José Loreto, que interpreta John-John na fábula teatral escrita pelo premiado dramaturgo Juan Mayorga. Nas figuras de cachorros que assumem a forma humana temas como filosofia, política e violência ganham espaço.
 
“Os temas de A paz perpétua são temas de hoje. Ou melhor, de todos os tempos, vistos de uma perspectiva de hoje. É um teatro contemporâneo. Ele fala de terrorismo, mas fala especialmente da natureza humana, por isso, seus personagens são cachorros: como esses cachorros falam, pensam, têm sentimentos e opiniões, a natureza humana projetada neles fica mais visível”, afirma o diretor.
 
A peça 'A paz perpétua' traz reflexões sobre a natureza humana (Nil Caniné/Divulgação)
A peça 'A paz perpétua' traz reflexões sobre a natureza humana
A mineira Grace Passô também estará em cartaz com Vaga carne. A diretora, atriz e dramaturga é uma das mais conceituadas do país e cria um jogo entre palavra e movimento no palco, onde um corpo de mulher vive a urgência do discurso à procura de identidade e pertencimento.

Serviço
Cena Contemporânea
Sexta (1º/9): Velejando desertos remotos (DF), no Teatro Funarte Plínio Marcos, às 19h. Vaga carne (MG), no Teatro Sesc Taguatinga Paulo Autran, às 20h. Dissidente (BA), no Teatro Sesc Garagem, às 21h. Sábado (2): DNA de DAN (PR), no Museu Nacional de Brasília, das 17h às 21h. A paz perpétua (RJ), no Teatro Funarte Plínio Marcos, às 19h. Vaga carne (MG), no Teatro Sesc Ceilândia Newton Rossi, às 20h. Dissidente (BA), no Teatro Sesc Garagem, às 21h. A Moscou! Um palimpsesto (DF), na Caixa Cultural, às 21h. Domingo: Vaga carne (MG), no Teatro Sesc Garagem, às 19h e 21h. A paz perpétua (RJ), no Teatro Funarte Plínio Marcos, às 20h. A Moscou! Um palimpsesto, na Caixa Cultural, às 20h.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES