Brasília-DF,
14/DEZ/2018

Espetáculo musical celebra a vida e a trajetória do cantor Zeca Pagodinho

Com direção de Gustavo Gasparani, a peça é encenada em dois atos, sobre a vida do cantor antes e depois da fama.

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Adriana Izel Publicação:30/03/2018 06:00Atualização:29/03/2018 16:26
Carreira de sucesso de Zeca Pagodinho é retratada na montagem 
 (Victoria Dannemann/Divulgação)
Carreira de sucesso de Zeca Pagodinho é retratada na montagem

 
Passista da Mangueira há 31 anos, roteirista de 10 musicais ligados à música brasileira e apaixonado por samba, o ator e diretor Gustavo Gasparani era um nome óbvio para criar o espetáculo Zeca Pagodinho — Uma história de amor ao samba. "Quando a produtora Chaim Produções me ligou e fez a encomenda da peça, eu já tinha estudado a carreira do Zeca. Ele é um artista e um ser humano fantástico e tem boas escolhas para se inspirar", lembra em entrevista ao Correio.

Depois de passar por diversas cidades, agora é a vez de a montagem desembarcar em Brasília para três sessões a partir de sábado (31/3), no Teatro Unip. A peça, segundo Gasparani, não é um espetáculo convencional e isso tem a ver com o fato de a figura principal do musical ainda estar viva. 

"Quis contar de uma forma diferente, eu tive como base um dos textos que escreveram sobre o Zeca em que disseram que ele era o Macunaíma do subúrbio carioca. A partir daí, fiz no primeiro ato, como Mario de Andrade, cena a cena sobre a formação do caráter suburbano", explica.

Assim, a peça é dividida em dois atos. No primeiro, a história de Zeca vai passando por estações até chegar ao sucesso. Nesse primeiro momento, é o ator Peter Brandão que dá vida ao personagem Jessé Gomes da Silva Filho, nome de batismo do sambista. Já no segundo ato, o papel fica por conta do próprio Gustavo Gasparani e tem como foco mostrar o artista consagrado lidando com o sucesso e mantendo a própria essência. "O que, para mim, é o maior trunfo do Zeca, é o fato de ele ser fiel ao mundo dele, ser genuíno", conta.

A construção do espetáculo contou com a parceria de Zeca Pagodinho, que aprovou o roteiro e pediu a inserção de um personagem, o "Baixinho",  figura importante para o sambista e também para Xerém.

Sobre as escolhas das músicas presentes no espetáculo, Gasparani buscou letras que retratassem o cotidiano e a vida do subúrbio. Na montagem estão os clássicos Samba para moças, Verdade, Bagaço da laranja, SPC e Deixa a vida me levar. "Tem também um lado menos conhecido, com Um dos poetas do samba e Tempo de Don Don", adianta. 

Serviço 
Zeca Pagodinho — Uma história de amor ao samba
Teatro Unip (913 Sul). Sábado (31/3), às 18h e às 21h. Domingo (1/4), às 20h. Espetáculo musical com Gustavo Gasparani (texto, roteiro musical e direção-geral). Duração de 2 horas com intervalo de 15 minutos. Entrada a R$ 25 (cadeira promocional) e R$ 75. Valores referentes à meia. Assinantes do Correio têm desconto de 60% no valor da inteira. À venda em www.bilheteriadigital.com. Não recomendado para menores de 14 anos.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES