Brasília-DF,
18/DEZ/2018

Espetáculo 'Eu é o outro' quebra fronteiras no festival Cena Contemporânea

Espetáculo baiano discute a percepção de espaço e de limites da atualidade. Confira também outros destaques do fim de semana no festival Cena Contemporânea

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Vinicius Nader Publicação:31/08/2018 06:03Atualização:30/08/2018 18:08

Discussões sobre fronteiras permeiam as cenas de 'Eu é o outro' (Danilo Borges/Divulgação)
Discussões sobre fronteiras permeiam as cenas de 'Eu é o outro'

 

Os baianos da cia. Coato aterrissam em Brasília para participar do último fim de semana do festival de teatro Cena Contemporânea. Eles trazem o espetáculo Eu é o outro: Ensaio sobre fronteiras, uma criação coletiva com direção e coordenação de Marcus Lobo.

 

A partir de uma narrativa não linear, a Coato nos apresenta a personagens que estão em busca de fronteiras — físicas, virtuais e psicológicas. É por meio de provocações sutis que a trupe nos coloca questões como preconceito, relações interpessoais e privacidade.

 

"O projeto fala sobre a percepção das fronteiras. O que nos faz igual ou diferente de quem está dentro da mesma fronteira? A fronteira pode ser tudo — a pele é uma fronteira, o espaço é uma fronteira", explica Marcus.

 

A fronteira de Eu é o outro não é apenas física. A internet possibilita o deslocamento da fronteira para qualquer lugar do mundo — "você está num lugar, com uma pessoa, sem estar fisicamente lá". Foi assim que surgiu o espetáculo. A Coato foi dividida durante três meses, uma parte ficando na sede, em Salvador, e outra se deslocou para São Paulo. A criação virtual foi crucial para a concepção de Eu é o outro como espetáculo, deixando de ser apenas um projeto.

 

"Era um desafio saber como poderíamos criar estando em trânsito e separados fisicamente. Mas serviu para percebermos que o olho no olho nunca vai ser sobreposto pela tecnologia", diz Marcus.

 

Outra fronteira quebrada em Eu é o outro é a existente entre os atores e a plateia. A interação é feita por meio de câmeras espalhadas por todo o teatro que transmitem a reação dos espectadores.

 

"O teatro é mostrado dentro e fora do palco. É mais abrangente. Gosto de dizer que é apresentação e não representação, pois estamos cada vez mais perto da plateia, seja por meio da reação deles, seja por meio da nossa reação", comenta o diretor. Ele ainda ressalta que a trilha sonora da peça é criada e executada ao vivo, a partir da resposta do público para as provocações.

 

Serviço

 

Eu é o outro: Ensaio sobre a fronteira

Teatro dos Bancários (314/315 Sul). Sexta (31/8), às 19h. Ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Assinantes do Correio pagam meia. Sesc Ceilândia. Sábado (1/9), às 20h. Entrada franca. Sesc Taguatinga. Domingo (2/9), às 20h. Não recomendado para menores de 16 anos.

 

 

Outros espetáculos do Cena Contemporânea neste fim de semana:
 

Autópsia III e IV — A continuação

(Cia. Sutil Ato, DF. Não recomenado para menores de 18 anos).

Sexta (31/8), às 19h, no Teatro Plínio Marcos (Funarte). Ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).


Tijuana

(Cia. Lagartijas tiradas al sol, México. Não recomendado para menores de 14 anos).

Sexta (31/8), às 20h, no Sesc Taguatinga. Entrada franca. Sábado (1/9) e domingo (2/9), às 21h, no CCBB. Ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Assinantes do Correio pagam meia.

 

Shakespeare inédito

(Cia. The Behrens Theatre, Argentina. Não recomendado para menores de 10 anos). 

Sexta (31/8), às 20h, no Sesc Ceilândia. Entrada franca. Sábado (1/9) e domingo (2/9), às 19h. Ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Assinantes do Correio pagam meia.

 

Pra frente o pior

(Inquieta Cia., Ceará. Não recomendado para menores de 18 anos). 

Sexta (31/8), às 21h, no Sesc Garagem. Ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Assinantes do Correio pagam meia.

 

Encerramento do amor

(Cia SAI, DF. Não recomendado para menores de 14 anos). 

Sexta (31/8), às 21h, no CCBB. Ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Assinantes do Correio pagam meia.

 

Salve Malala

(Cia La Leche, São Paulo. Classificação livre). 

Sábado (1/9) e domingo (2/9), às 17h. Teatro Plínio Marcos na Funarte. Ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Assinantes do Correio pagam meia.

 

Lo único que necesita una gran actriz

(Cia VACA3 Teatro en Grupo, México. Não recomendado para menores de 18 anos). 

Sábado (1/9) e domingo (2/9), às 19h, no Teatro Goldoni (208/209 Sul). Ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Assinantes do Correio pagam meia.

 

Alicia después de Alicia

(Cia Kabia Teatro, Espanha. Classificação Livre). 

Sábado (1/9) e domingo (2/9), às 20h no Sesc Gama. Entrada franca.

 

Jardín de invierno

(Cia. Cielo Raso, Espanha. Classificação Livre).

Sábado (1/9) e domingo (2/9), às 21h, no Sesc Garagem. Ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Assinantes do Correio pagam meia.

 

Sonho de uma noite de verão

(Cia. Celeiro das Antas, DF. Não recomendado para menores de 14 anos).

Domingo (2/9), às 20h, no Sesc Ceilândia. Entrada franca. Ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Assinantes do Correio pagam meia.

 

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES