Brasília-DF,
19/NOV/2018

Agite! Vejas as opções para curtir o fim de semana

Muita música, teatro, literatura e gastronomia

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Ronayre Nunes* Publicação:31/08/2018 06:05Atualização:30/08/2018 18:04

Ligação Brasil-Japão

A gastronomia é um das principais ligações entre Japão e Brasil (Assessoria Prezz Comunicação/Divulgação)
A gastronomia é um das principais ligações entre Japão e Brasil

O ano 2018 marca os 110 anos de imigração japonesa no Brasil. A cultura nipônica há muito já ganhou fãs e apreciadores em solo tupiniquim. Seja pela gastronomia, seja por influências de entretenimento e expressões artísticas, o Japão tem lugar cativo no coração dos brasileiros.
 
A 2ª edição do festival Made in Japan estreitará mais ainda os laços dessa união celebrando o melhor da cultura japonesa na capital. Com muita música, arte, moda e, claro, gastronomia, o evento será realizado no Estádio Mané Garrincha ñesta sexta, sábado e domingo.

"Sem dúvida nenhuma a gastronomia é o carro-chefe do evento. Todos que forem encontrarão uma comida tradicional japonesa, preparada por chefs renomados da cidade. A culinária japonesa tem papel fundamental nessa integração Brasil-Japão, permitindo maior aproximação de países tão distantes e, ao mesmo tempo, tão ligados. É uma oportunidade de apreciar a excelência da culinária japonesa sem precisar ir ao outro lado do mundo”, explica Flávio Hideo, um dos organizadores do projeto.
 
Já no lado musical, a celebração também separou uma atenção especial, com destaques culturais dos dois lados, como aponta Hideo: "Nossa intenção, é trazer atrações que representam bem a cultura e tradição tanto brasileira quanto japonesa, a fim de celebrar esses 110 anos de intercâmbio cultural. Teremos em nosso palco o Digão, da banda Raimundos, Philippe Seabra, do Plebe Rude, Fábio Yoshihara, o Akira da novela Sol nascente, Nobuhiro Hirata, campeão brasileiro de música japonesa, Edson Sato e Ligiane Sagae, representantes da música tradicional japonesa no Brasil, além dos tradicionais tambores japoneses”.

Serviço
Made in Japan
Estadio Mané Garrincha (Eixo Monumental). Sexta, a partir das 18h, sábado e domingo, a partir das 11h. Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada). Classificação indicativa livre.
 
*Estagiário sob a supervisão de Vinicius Nader 

Quebra de paradigmas

Com mistura de meios, a performance promete chamar a atenção do público (Tancarvillenuno Marcelino/Divulgação)
Com mistura de meios, a performance promete chamar a atenção do público
 
 
Dança, literatura, filosofia, vídeo, performance. E se tudo isso pudesse ser acoplado numa única apresentação? E melhor, se entre tudo isso, fosse englobada uma verdadeira ressignificação geográfica? A proposta do projeto Entrecruzados, vai além do comum.
 
"A gente está fazendo uma reunião com alguns nomes internacionais de grande renome e promovemos uma busca pelo tempo real. A nossa ideia é quebrar ideias de real, virtual, camarim, palco e a gente está trazendo tudo isso para dentro de cena, desde técnico até produção. É uma nova forma de estudar a performance. Queremos quebrar tabus", explica Laura Virgínia, uma das idealizadoras do projeto.
 
"É uma sequência de intervenções, com um filósofo filosofando e uma bailarina dançando e até a câmera envolvida na performance, ao longo da apresentação também terá ciclos junto com esses encontros", completa.
 
Laura explica que um vídeo e um livro sobre o projeto estão em curso, além disso, o público pode acompanhar todo o processo da performance, como ensaios, nos meios virtuais. "Como pesquisadora e coreografa, percebo que o tempo da modernidade está sugando ensaios, planejamento, e eu pensei em fazer algo com uma carga muito forte de presença. E a gente coloca o experimento, o fazer e o resultado no palco, questionando essas posições fixas de tempo e segmento. A gente está preocupado com a memória da arte no contemporâneo, já que as produções comuns não estão muito se ligando nessa vertente.", argumenta Laura.

Serviço
Entrecruzados
Centro de Dança do Distrito Federal (SAN Q. 1). Sábado, às 19h. Entrada franca. Classificação indicativa livre.

Feiras

Cultura na torre
A Estação Cerrado promove encontro de celebração à cultura local no sábado, na Torre de TV (Eixo Monumental), a partir das 9h. O projeto oferece oficinas de artesanatos e está cheia de atrações. A proposta é aproximar o público do fazer artesanal, valorizando os trabalhadores locais. No cronograma estão oficinas de flores, cerâmica, instrumentos e mais. A entrada é franca. Há limite de vagas e as inscrições podem ser feitas antecipadamente pelo e-mail estacaocerrado2018@gmail.com. Classificação indicativa livre.

O grupo de Teatro de Rua Scutum fará apresentações no evento Estação Cerrado (Tato Comunicação/Divulgação)
O grupo de Teatro de Rua Scutum fará apresentações no evento Estação Cerrado


Mais de 100 edições
Sexta, a partir das 20h, em frente à associação Imaginário Cultural (QN 103, Samambaia Sul), o Sarau Complexo apresentará a 108ª edição com muita cultura. Terá opções de música, poesia, teatro e dança. A entrada é franca. Classificação indicativa livre.

A 108ª edição do Sarau Complexo promete muita animação (Skartazini Assessoria/Divulgação)
A 108ª edição do Sarau Complexo promete muita animação


Debate

 
Discutindo arte
Os curadores Renata Azambuja e Carlos Ferreira se encontrarão no sábado, às 18h, na Cervejaria Criolina (SOF Sul, Q. 1, cj B) para debater a obra do artista André Santangelo, mais especificamente a série A soma entre as partes. A entrada é franca. Classificação indicativa livre.
 
As obras de André Santangelo misturam foto e artes plásticas
 (Divulgação/Assessoria Luiz Alberto)
As obras de André Santangelo misturam foto e artes plásticas

 

Música

De Natal para Brasília
O festival Dosol já faz sucesso em Natal, no Rio Grande do Norte, mas isso não impede Brasília de participar da festa. Sexta e sábado, o evento terá a perna brasiliense no Pier 21 (SCES, Tc. 2, lt 32), a partir das 15h. Entre aulas relacionadas à produção cultural, o grande destaque do festival são as bandas musicais, como Augusta, O Tarot, Ops e Saci Were. A entrada é franca. Classificação indicativa livre.

A banda O Tarot fará parte do evento amanhã (Artur Dias/Divulgação)
A banda O Tarot fará parte do evento amanhã


Destaque ao rap
A festa Nagood está com nova edição no Ascade (SCS, Tc. 2), sexta, às 22h. Desta vez, o grupo Poesia Acústica é o grande destaque, como um dos representantes do novo rap nacional. Além do grupo, DJs de renome estão no set list, como Chicco Aquino, Hugo Drop, Paula Torelly e Daniel Futuro. Ingressos: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia-entrada) – na pista; R$ 140 (inteira) e R$ 70 (meia-entrada) – camarote. Não recomendado para menores de 18 anos.

Grupo Poesia Acústica é o grande destaque da noite (Leonardo Marinho/Divulgação)
Grupo Poesia Acústica é o grande destaque da noite
 
 
Coro sinfônico
O Coro Sinfônico Comunitário da UnB e a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro se reúnem para concerto nesta sexta, às 20h, na Igreja Metodista da 906 Norte. No programa, obras de Mozart, sob a regência do maestro David Junker. Entrada franca. Classificação livre.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES