Brasília-DF,
24/SET/2018

Memória da madeira transparece em nova exposição de José Ivacy

Artista volta às origens mineiras na exposição 'Poéticas do tempo'

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Nahima Maciel Publicação:07/09/2018 06:05Atualização:06/09/2018 17:27

As peças de Jose Ivacy festejam a resistência da madeira (José Ivacy/Divulgação)
As peças de Jose Ivacy festejam a resistência da madeira

 

Desde pequeno, o artista José Ivacy é fascinado por materiais descartados como restos de madeira e metais. Menino, enquanto crescia e brincava ao ar livre na região de Sobradinho, costumava recolher o que encontrava. 

 

Adulto, continuou a “salvar” objetos para incorporá-los em assemblages. Parte dessa obsessão compõe Poéticas do tempo.

 

São 94 objetos produzidos desde os anos 1990 sob a curadoria de Bené Fonteles. Trabalhadas com pigmentos e resina acrílica, as peças ganham uma dimensão que carrega memória própria e o gesto do artista. “São objetos geométricos, abstratos, mas feitos numa artesania ao modo antigo, sem tratar de enfeitar para ficar bonito”, explica o artista, que diz, assim, respeitar a memória dos objetos. “É uma opção que é política. Sempre fui encantado pela capacidade de a madeira resistir ao tempo.”

 

Há também nas peças uma forte ligação com a maneira artesanal de trabalhar e com o estado natal do artista, Minas Gerais. Ivacy volta às origens quando se debruça sobre a construção de assemblages. 

 

Serviço

Poéticas do tempo

Galeria Karla Osório (SMDB Conjunto 31 Lote 1B). Visitação até 10 de outubro, de segunda a sexta, das 9h às 18h30, e sábado, mediante agendamento. Entrada franca. 

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES