Brasília-DF,
25/AGO/2019

Exposição de Cíntia Falkenbach fala sobre a força do cobre

Gravações em metais são o elo dos caminhos percorridos pela artista visual

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Nahima Maciel Publicação:22/02/2019 06:08
Cíntia Falkenbach explora várias possibilidades das matérias-primas das obras de Confissões do cobre (Cintia Falkenbach/Divulgação)
Cíntia Falkenbach explora várias possibilidades das matérias-primas das obras de Confissões do cobre


Gravadora há 38 anos e professora aposentada do curso de artes visuais da Universidade de Brasília, a artista Cíntia Falkenbach celebra a trajetória na mostra Confissões do cobre, em cartaz na galeria Matéria Plástica. Com curadoria de Valéria Pena-Costa, a exposição reúne gravuras e objetos produzidos pela artista nas últimas décadas.

Cíntia divide a exposição em três partes que correspondem aos diferentes caminhos traçados ao longo da carreira. "Uma parte seria a gravura em metal, com trabalhos do início da carreira, nos anos 1980, até trabalhos atuais", explica.

A segunda parte tem o cobre como material principal. A partir do trabalho com as matrizes para a gravura em metal, a artista sentiu necessidade de explorar as possibilidades de uma de suas matérias-primas. Com o cobre, começou a fazer cutelaria e chegou até mesmo a produzir os instrumentos utilizados no processo de gravação. "A cutelaria é interligada com a gravura porque veio da necessidade de conhecer melhor o cobre e o que ele permite", avisa.

Radicada em Pirenópolis, onde mantém ateliê, Cíntia passou do cobre à prata e às pedras preciosas. Foi influência da região, ela acredita. Pirenópolis é conhecida pela produção de prata e pedras. A artista começou, então, a fazer bijuterias. "Mas é um trabalho mais contemporâneo, trabalho com fios de prata, é uma coisa mais experimental", explica.

A terceira parte das obras apresentadas na Matéria plástica é a mais recente. Com caixas de doces e fios de cobre, ela criou objetos que classifica como intermediários entre oratórios e lanternas. "É uma coisa mais voltada para questões espirituais mesmo. São objetos meio esquizofrênicos. Eles têm um tratamento super naif porque não busco um expressionismo técnico", garante.

Serviço
Confissões do cobre
De Cíntia Falkenbach. Galeria Matéria Plástica (Condomínio Privê Morada Sul Rua 23 Casa R49, Altiplano Leste – Brasília-DF). Visitação até 31 de março, de quarta-feira a domingo, mediante agendamento pelos telefones 98127-5728 e 33671591.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES