Brasília-DF,
15/NOV/2019

Maria Flor é estrela do espetáculo teatral 'A ponte', em cartaz no CCBB

"É uma peça muito feminina, sobre a condição feminina", explicou Maria Flor sobre a peça adaptada de texto canadense

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Adriana Izel Publicação:05/04/2019 06:01Atualização:04/04/2019 15:48
Na peça, as três irmãs se reúnem após a mãe adoecer (Ismael Monticelli/Divulgação)
Na peça, as três irmãs se reúnem após a mãe adoecer
 
Desde a última quarta-feira, Brasília recebe a temporada  do espetáculo A ponte, no CCBB, que chega à capital após passar por Belo Horizonte e São Paulo. Texto do canadense Daniel Maclvor, a montagem ganhou uma adaptação por iniciativa das atrizes Maria Flor e Bel Kowarick, que integram o elenco ao lado de Liliane Rovaris, e conta com tradução de Bárbara Duvivier e direção de Adriano Guimarães.

Na peça, o trio de atrizes sobe ao palco para contar a história de Agnes (Liliane Rovaris), Teresa (Bel Kowarick) e Louise (Maria Flor), três irmãs que precisam se reunir após a mãe adoecer. A iminência da morte da matriarca une as irmãs que terão que debater as relações humanas com mensagens do universo feminino, como a maternidade.

“É uma peça muito feminina, sobre a condição feminina. São quatro mulheres ali dentro de uma casa, sozinhas. Porque a presença do pai meio que não existe. A gente fala sobre ele, mas ele não existe. A mãe, mesmo sem estar em cena, é muito presente. Ela está ali e essas irmãs estão juntas por causa dela. A gente sabe que está chegando a hora da morte e elas estão ali tendo que discutir muitas coisas dessa relação”, explica Maria Flor.

Apesar do espetáculo ter apenas as três atrizes no palco, a peça conta com outros nove personagens, entre eles a mãe, além de figuras que aparecem por conta dos diálogos de uma série que as personagens assistem na televisão dentro da cozinha, local em que se passa a maior parte da narrativa. “São personagens distintos, característicos, embora não sejam vistos. As legendas são para as cenas serem imaginadas. Quando você ouve, você já sabe, a voz tem essa corporeidade. Então esse recurso da peça é de imaginar os outros personagens que estão enfatizados na minha encenação”, revela o diretor Adriano Guimarães.

Serviço

A ponte
CCBB (SCES, Tc. 2). Nesta sexta (4/4) e sábado (5/4), às 20h. Domingo (7/4), às 19h. O espetáculo fica em cartaz por três semanas. Na próxima semana sessões quarta, sexta e sábado, às 20h. Domingo, às 19h. Na terceira semana, de terça a quinta, às 20h. No dia 10, a sessão terá tradução em libras e audiodescrição. Espetáculo A ponte com texto de Daniel Maclvor e tradução de Bárbara Duvivier, direção de Adriano Guimarães e dramaturgia de Emanuel Aragão. Elenco: Bel Kowarick, Liliane Rovaris e Maria Flor. Duração: 110 minutos. Entrada a R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). À venda em na internet ou na bilheteria do CCBB. Não recomendado para menores de 12 anos.

Tags: teatro ccbb

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES