Brasília-DF,
21/NOV/2019

Família, tradição e palhaçada na nova temporada do Circo Grock

CCBB recebe circo que recolheu tradições circenses por toda a Europa e traz o espetáculo Uma história de circo para Brasília

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Devana Babu* - -- Publicação:12/07/2019 06:01Atualização:11/07/2019 17:53
"A idade que a gente tem de atividade profissional, a gente tem de casamento. Somos eternos namorados", declara-se Nil, cofundador do Circo Grock.

O Circo Grock está na cidade. Após extensa temporada na Europa, nos anos de 1990, e uma circulada no Brasil a partir de 2016, o casal Nil Moura e Gena Leão, acompanhados do filho Lion e do tio/irmão/cunhado e mais quatro agregados chegam a Brasília para uma temporada de dois meses no CCBB. De hoje até o dia 8 de setembro, o Circo Grock apresenta todos os finais de semana o espetáculo Uma história de circo, sob a lona da própria trupe, para cerca de 400 espectadores. 

A história de Nil Moura e Gena Leão com o circo surgiu paralelamente à história de amor dos dois. Egressos do teatro, na cidade de Natal, Rio Grande do Norte, se apaixonaram um pelo outro e pelas artes circenses e, por volta de 1991, foram excursionar pela Europa, por cerca de 15 anos, com o irmão de Gena, aprendendo sobre as raízes e tradições do circo moderno. "Eu não nasci no circo, mas o circo nasceu em mim", conta Nil Moura. Por outro lado, Lion, filho do casal, com cerca de quatro anos já participava da brincadeira com os pais. 

Entre idas e vindas ao Brasil (nove meses lá e três meses cá), o Circo Trampolim e o Circo Teatro Cara Melada, uma grande lona fixa na cidade de Natal, transformou-se no Circo Grock, uma lona menor com capacidade de itinerar pelo país. 

O espetáculo Uma história de circo, encenado em diversos formatos desde o início da trupe, amadureceu e é resultado de todas essas vivências, pesquisas e itinerâncias. Por meio da vertente do teatro-circo, o palhaço Espaguete (Nil Moura) vai narrando a história do circo moderno enquanto números tradicionais como os da palhaça Ferrugem (Gena), do malabarista Lion e do mágico cearense Mr. Jack vão roubando a cena à medida que a montagem avança. 

"O espetáculo se chama 'uma história de circo', porque não é a história do circo, mas apenas uma história do circo, que por acaso narra a trajetória do circo moderno", conta Nil Moura. A pegada do show é resgatar a atmosfera tradicional do circo. "Eu sinto falta disso. Nos circos brasileiros, as pessoas pegam num viés de moda, que traz robôs, Transformers, Peppa Pig, Galinha Pintadinha. Eles querem atrair gente, mas o espetáculo perde um pouco da atmosfera poética do circo", explica.

*Estagiário sob supervisão de Igor Silveira

Serviço
Circo Grock — Uma história de circo
CCBB (SCES, Tc. 2, cj 22; 3108-7600). De 12 a 28 de julho, terças e quartas, às 19h30, e de quinta a domingo, às 15h, 17h30 e 19h30; De 1 de agosto a 8 de setembro, quintas e sextas, às 19h30, e sábados e domingos, às 17h30 e 19h30. Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada e clientes BB). Sessão com meia-entrada para toda a família no Dia dos Pais (11/8). Classificação indicativa livre.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES