Brasília-DF,
19/OUT/2019

Exposição reúne objetos etnográficos e obras de arte contemporânea

'Te faço nascer livre' está disponível na Casa da Cultura da América Latina

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Roberta Pinheiro Publicação:27/09/2019 06:01Atualização:26/09/2019 20:08

O trabalho da gravadora mineira Stella Maris é um dos destaques da exposição 'Te faço nascer livre'
 (Reprodução)
O trabalho da gravadora mineira Stella Maris é um dos destaques da exposição 'Te faço nascer livre'

Ao reunir oito dezenas de obras de arte do acervo da Casa da Cultura da América Latina (CAL), pertencente à Universidade de Brasília (UnB), a equipe curatorial da exposição Te faço nascer livre propõe uma reflexão sobre a forma como o público se relaciona com os objetos de arte.

 

Diante de um acervo de mais de duas mil peças, de diferentes períodos, com obras de arte, arte popular e objetos etnográficos, estudantes do curso de Teoria, Crítica e História da Arte da UnB, orientados pela professora do Departamento de Artes Visuais Cinara Barbosa, associaram peças, provocando diálogos e aproximações. A mostra faz parte do projeto Curadorias Visíveis, voltado para a pesquisa do acervo da instituição como meio de formação de alunos.

 

Entre os desafios da curadoria, Victor Zaiden, um dos responsáveis pela curadoria e pesquisa, destaca o encontro com a arte indígena. “A maneira como a gente se relaciona com ela não é a mesma, implica conhecimentos daquela civilização, daquela comunidade. A arte para eles é uma transmissão de conhecimentos, por exemplo”, comenta. Por isso, o grupo se debruçou em informações para esclarecer aos visitantes a história dos objetos expostos.

 

Te faço nascer livre é também uma oportunidade de expor trabalhos pouco conhecidos, como as produções de dois professores da UnB: o pintor carioca Milton Ribeiro e a gravadora mineira Stella Maris. “São várias maneiras de fazer arte ali expostas. Nos deparamos com obras com qualidade enorme, mas sem autoria e datação, isso foi desafiador. Precisamos reconhecer o que a gente não sabe sobre essas obras, saber lidar com o desconhecido de uma maneira propositiva”, afirma Zaiden.

 

Serviço

Te faço nascer livre

Na Casa da Cultura da América Latina (Setor Comercial Sul, Quadra 4, Edifício Anápolis). Visitação até 22 de novembro. Diariamente das 10h às 19h. Entrada franca. Classificação indicativa livre.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES