Brasília-DF,
25/SET/2020

Afetividades e a mulher negra são o tema da peça 'Afeto'

O espetáculo está em cartaz na Casa dos Quatro por curto período

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Roberta Pinheiro Publicação:13/12/2019 06:03Atualização:12/12/2019 20:44
Autoral, 'Afeto' não tem uma construção linear e é formado por diferentes narrativas que se cruzam (Diego Bresani/Divulgação)
Autoral, 'Afeto' não tem uma construção linear e é formado por diferentes narrativas que se cruzam

 
Duas perguntas guiaram a pesquisa e a construção do espetáculo teatral Afeto: quem são as pessoas negras que estão ou já passaram por sua vida e qual foi a relação de afeto que você estabeleceu com ela? A peça do Grupo Embaraça, interpretada pelas atrizes Fernanda Jacob e Tuanny Araujo, trata das afetividades, das diversas formas e contextos possíveis, em torno da mulher negra.

Em curta temporada na Casa dos Quatros, o trabalho resulta de um processo de pesquisa do qual o grupo viu surgir relatos convergentes de dinâmicas racistas. Da infância à vida adulta, passando por situações na escola, na vida pessoal, de relacionamentos, no trabalho, porém todas permeadas por fragilidades e pela falta da empatia. “É um recorte de como o afeto se dá, é a empatia que você tem para com o outro. O racismo estrutural que precisa ser combatido na maneira como a gente concebe o afeto”, afirma Tuanny. 

Afeto é um espetáculo autoral e com uma linguagem estética performativa. Sem uma construção linear, diferentes narrativas se cruzam e vão montando o quebra-cabeça em variados contextos. “Mas que tem uma linha dramatúrgica que vai até o fim, perpassando essas histórias, tem relatos de mulheres distantes e narrativas ficcionais. Não é só o lugar do depoimento pessoal”, detalha a atriz, autora e diretora.

Com uma banda ao vivo em cena, composta por Letícia Fialho (guitarra), Anne Caroline Vasconcelos, Larissa Umaytá e Yara Alvarenga (percussão), provocações cênicas de Jonathan Andrade e projeções de Mari Mira, o espetáculo é um trabalho coletivo que busca recursos para tratar de um tema caro e importante. “Por mais que seja difícil, mas é um respiro. A gente propõe um outro lugar, um lugar que a gente precisa, de se olhar para outras oportunidades, de entender como vemos o outro. A falta de afeto para com as mulheres negras não deixa de representar uma morte simbólica. Há uma urgência em tratar essas afetividades”, pontua.

Serviço
Afeto
Na Casa dos Quatro (708 Norte, Bl. F, Lj. 42). Sexta (13/11) e sábado (14/11), às 20h, e domingo (15/11), às 19h. Do Grupo Embaraça. Ingressos: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada). À venda no Sympla e pelos telefones 98127-8667 e 98269-8559. Não recomendado para menores de 18 anos.

Tags: teatro

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES