Brasília-DF,
21/FEV/2020

Museu dos Correios recebe exposição sobre o médico Oswaldo Cruz

Exposição revela lado humano e íntimo do médico e sanitarista a partir de correspondências trocadas entre Oswaldo Cruz e a esposa

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Roberta Pinheiro Publicação:17/01/2020 06:02Atualização:16/01/2020 20:14
Mostra recebeu mais de 90 mil visitantes no Rio de Janeiro (Jeferson Mendonça/Divulgação)
Mostra recebeu mais de 90 mil visitantes no Rio de Janeiro

 
O nome do médico Oswaldo Cruz é facilmente associado ao enfrentamento de epidemias e ao pioneirismo no estudo de doenças tropicais e da medicina experimental no Brasil. Contudo, para além dos laboratórios, o cientista e sanitarista era um pai e marido amoroso e um viajante fascinado pela modernidade das metrópoles europeias e norte-americanas. Esse lado íntimo e humano da emblemática figura da saúde pública nacional está retratado em fotos, vídeos e cenografia na mostra Do teu saudoso Oswaldo, em cartaz no Museu dos Correios

A partir de correspondências pessoais trocadas entre Oswaldo e a mulher —  Emília da Fonseca, a quem carinhosamente chamava Miloca — e os filhos, a exposição eterniza experiências cotidianas do médico, as observações dos locais de viagem, as impressões do trabalho e as trocas de afeto com a família. Oswaldo não hesitava em expor ódios e paixões, angústias e fragilidades.

Em vídeos curtos, os atores Bruno Quixotte, João Velho e Rafael Mannheimer, dirigidos por Sura Berditchevsky, interpretam trechos das cartas de Oswaldo Cruz. Nelas, é possível extrair o zelo e o carinho do médico. O material também documenta as experiências do cientista em viagens pelo Brasil, Europa e América do Norte. Entre elas, ele descreve o encanto com os “arranhadores de céus” nova-iorquinos, marco da modernidade que contrastava com a realidade e os problemas sanitários brasileiros. 

Depois de receber mais de 90 mil visitantes no Rio de Janeiro, a exposição, com cartas, cartões-postais, bilhetes e fotografias pessoais do cientista, chega a Brasília sob a guarda da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz) e abrange um período que se inicia em 1889 e se estende após a morte, em 1917, aos 44 anos. A curadoria leva a assinatura de Ana Luce Girão, Glauber Gonçalves, Heverton Oliveira, Nara Azevedo, Rodrigo Ferrari e Wanda Hamilton.

Serviço

Do teu saudoso Oswaldo
No Museu dos Correios. Abertura sexta (17/1) e visitação até 15 de março. De terça a sexta-feira, das 10h às 19h, e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 18h.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES