Brasília-DF,
21/FEV/2020

Feira de Vinil do Conic reúne milhares de LPs e outras atrações

Já tradicional, a feira conta com mais de 20 mil títulos de discos de vinil, incluindo algumas raridades

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
João Paulo Zanatto* Publicação:07/02/2020 06:01Atualização:06/02/2020 23:10
Som na vitrola! Há quase 10 anos que os discos de vinil voltaram ao gosto do público (Feira de vinil/Divulgação)
Som na vitrola! Há quase 10 anos que os discos de vinil voltaram ao gosto do público
 
Discos de vinil, bolachões e LPs, os vinis são chamados por diversos nomes. O formato de armazenamento de áudios foi o principal método de compartilhamento musical durante muitos anos, do fim da década de 1940 até meados dos anos 1980, quando surgiram os CDs. Entretanto, há quase uma década, o comércio de discos de vinil voltou a crescer. Neste sábado, a tradicional Feira de Vinil do Conic estreia em 2020, expondo ao público novos, antigos e raros LPs.

“Nós fazemos a feira uma vez a cada dois meses, e esta será a primeira deste ano. Sempre temos alguma atração, além dos vinis. Desta vez, será a segunda edição da Baixa Gastronomia, com comidinhas baratas e populares, como acarajés, galinhada, sanduíches, entre outros”, conta João Marcondes, um dos organizadores do evento.

Mas a atração principal mesmo são os discos. Serão mais de 20 mil títulos de vinil à venda, que variam entre R$ 5 e R$ 1.000. Podem ser encontrados LPs desde os mais antigos aos mais novos e de diversos gêneros. De Noel Rosa a Kendrick Lamar. Entre eles, raridades como os dois volumes do álbum Racional, de Tim Maia, lançados no meio da década de 1970, podem fazer a alegria de um colecionador. “Há discos para todos os gostos, inclusive para quem está começando uma coleção. A geração mais nova tem comprado muito vinil, como os da Billie Eilish e Taylor Swift, por exemplo”, aponta Marcondes.

Apesar de, hoje em dia, os serviços de streaming estarem adquirindo cada vez mais espaço, Marcondes ressalta que nada substitui o bom e velho bolachão. “Os consumidores ouvem o álbum inteiro, não só uma música, para entender o conceito. É toda uma arte, que também tem fotos, as pinturas das capas e encartes”, conclui João Marcondes.

*Estagiário sob a supervisão de Igor Silveira

Serviço

Feira de Vinil
Conic (SDS, Bl. Q, 44, Ed. Venâncio IV-V). Sábado (8/2), das 10h às 19h. Entrada Franca. Classificação indicativa livre.
 
 

Outros eventos


Feira Geek
O Sesc da 504 Sul recebe, neste fim de semana e no próximo, a Feira Geek. O evento é voltado ao público nerd da capital com trocas e vendas de produtos, cosplay, oficinas, apresentações sobre RPG, feira de ilustradores e bate-papo com quadrinistas, entre outras atividades. O evento é nesta sexta (7/2), das 18h às 21h30; sábado (8/2), das 13h às 19h; e domingo (9/2), das 14h às 19h. A entrada é franca, entretanto, algumas oficinas são pagas. Não recomendado para menores de 12 anos.

Brasília Tango Festival
No Espaço Brasília (904 Sul, Bl. J, cj. A, ASCEB), a dança é a grande atração. O Brasília Tango Festival promove o tango no Brasil, com um encontro entre profissionais argentinos e brasileiros da dança, além de aulas e shows de artistas convidados. É nesta sexta (7/2), sábado (8/2) e domingo (9/2). Mais informações, como programação e preço dos ingressos estão disponíveis no site do evento

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES