Brasília-DF,
19/SET/2020

Peça no Renato Russo transpõe, para a comédia, as preocupações da vida

'A experiência humorística performática do nada, para não ser pretensioso' mistura palhaçaria e stand-up teatral

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Roberta Pinheiro Publicação:28/02/2020 06:10Atualização:27/02/2020 20:24
'É a história de um menino que o sonho dele é ser artista', explica o ator Matheus Dias (Humberto Araújo/Divulgação)
'É a história de um menino que o sonho dele é ser artista', explica o ator Matheus Dias

 
Da mesma forma espontânea e, naturalmente, engraçada que o ator Matheus Dias relata sobre o processo de construção da peça A experiência humorística performática do nada, para não ser pretensioso, ele leva a interpretação para o palco do Espaço Cultural Renato Russo. O trabalho, resultado de um processo imersivo dele com o também artista Yuri Fidelis, se desdobra em jogo de questionamentos sobre o exercício físico e mental da existência humana. Misturando palhaçaria e stand-up teatral, Matheus incorpora uma figura que sofre os distúrbios da poesia contemporânea.

“É a história de um menino que o sonho dele é ser artista, ele tem uma grande pulsão de vida nesse lugar de ser um artista. Ele recebe a oportunidade de fazer o seu espetáculo, mas encontra com aventuras que fazem ele ir fracassando”, conta o ator. Matheus descreve o imaginário do espetáculo como pretensioso, um pouco infantil, mas muito carismático e divertido.

A partir da narrativa do personagem e com a linguagem do humor, entram em cena as indagações sobre as pretensões humanas. No primeiro ato, a necessidade de se entreter. No segundo, a euforia, a necessidade de festejar, de estar dentro de algo que pulse. “Mas que também desperta compulsões, vícios, desejos carnais”, acrescenta o ator. No terceiro ato, trabalha-se a vitória, a disputa de ego, os confrontos. “É sobre a humanidade e questiona muito o lugar das relações, do mental, do físico”, explica. 

Concebido como espetáculo solo, A experiência humorística performática do nada, para não ser pretensioso no Renato Russo também será interpretado em libras por Guigo Levi. Matheus explica que vai além da tradução para pessoas com deficiência auditiva. “É uma peça para eles também”. Por isso, 10 cortesias por dias serão disponibilizadas para esse público. Os interessados devem enviar um e-mail para ciatruvacao@gmail.com.

O populismo na linguagem, as brincadeiras e, principalmente, o diálogo teatral horizontal levam ao palco uma espécie de “nada” um nada que também preenche. A experiência, não é nada mais que explorar a capacidade de transpor para a comédia as ansiedades e preocupações fundamentais da vida humana. “É para o público. É humano. Começo a falar da gente e tudo que a gente faz”.
 

Serviço

A experiência humorística performática do nada, para não ser pretensioso
No Espaço Cultural Renato Russo. Sexta e sábado, às 20h, e domingo às 19h. Ingressos: R$ 30 (inteira). À venda no Sympla e na bilheteria do espaço. Livre para todos os públicos. 
Cortesia para pessoas com deficiência auditiva: enviar e-mail para ciatruvacao@gmail.com 

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES