Brasília-DF,
17/OUT/2017

Nova fase do humor na televisão brasileira é destaque na coluna Eu vi! da semana

Destaques para o novo formato do Zorra, na Globo, CQC e as paródias do Pânico na Band

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Vinicius Nader Publicação:14/06/2015 08:45
Rafael Cortez, Dan Stulbach e Marco Luque: a nova formação do programa Custe o Que Custar - CQC (Band/Divulgação)
Rafael Cortez, Dan Stulbach e Marco Luque: a nova formação do programa Custe o Que Custar - CQC
Dizem por aí que não há remédio melhor contra o tédio do que rir. Vou além: se for rir de si mesmo, os benefícios são bem maiores e podem curar várias dores n'alma. Algumas emissoras parecem ter descoberto isso e brindam o telespectador com momentos que mesclam humor e autocrítica.

A Band dá dois exemplos de que a receita pode dar certo. Não é de hoje que o CQC dá sinais de que brincar - ou fazer bullying, como virou moda dizer atualmente - com os próprios apresentadores é um caminho certo a se seguir. Não raro Dan Stulbach, Marco Luque e Rafael Cortez parecem adolescentes no recreio. E como são felizes os adolescentes nesse momento do dia!

Alguns quadros do Pânico na Band também apostam nessa ideia, como o Master Jegue, no qual o misto de palhaço e parlamentar Tiririca faz paródia do reality show MasterChef Brasil, um sucesso de audiência da emissora.

Até a Globo, do alto de seu pedestal platinado, reza por essa cartilha. A chegada de Marcius Melhem ao time de redatores do renovado Zorra (ex-Total) só fez bem à atração, que ensina: "se por acaso a audiência não bombar, bota no ar de volta a velha receita conhecida". O próprio Melhem, ao lado de Marcelo Adnet, capitaneia os humoristas do Tá no ar - a TV na TV, programa que tem temporada garantida ano que vem e não deixa atração nenhuma de fora da piada.
Tags: celular

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK