Brasília-DF,
18/SET/2021

Tamanho família faz sucesso nas vendas em Águas Claras

Com parmegiana bem servida, restaurante do Rubinho completa 10 anos de serviços em Águas Claras

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Publicação:16/10/2015 06:08

Parmegiana tamanho família do Restaurante do Rubinho: empresário calcula que prato responde por 65% de todo o faturamento da casa
  (Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
Parmegiana tamanho família do Restaurante do Rubinho: empresário calcula que prato responde por 65% de todo o faturamento da casa

Batizados de pratos tamanho família, os preparos que servem mais de três pessoas são boa alternativa para driblar a crise. Em época de vacas magras, o tíquete médio de quem compra um prato para dividir pode reduzir o preço da conta em até 30%, vantagem para quem quer gastar menos sem abrir mão da diversão.

No restaurante Nakombi, que tem por proposta uma combinação da cozinha japonesa com um ambiente moderno e contemporâneo, em vez de pedir pelo rodízio, muitos clientes têm se voltado aos pratos à la carte para dividir, como um combo com mais de 100 peças de sushi e sashimi feito para até cinco pessoas.

“Os clientes comem uma quantidade satisfatória de peças gastando um pouco menos”, afirma a proprietária, Marisa Braga. Para ela, a vantagem é servir as iguarias de modo muito mais fresco, diferentemente dos tradicionais bufês, que deixariam a delicada matéria-prima exposta em um balcão.

A crise passou longe das portas do Restaurante do Rubinho, prestes a completar 10 anos de funcionamento em Águas Claras e que tem como ponto central a adaptação de todos os pratos do menu em versões para quatro ou cinco pessoas.

“Essa manutenção do movimento acontece porque trabalhamos no formato de pratos que servem mais de duas pessoas. No início, tinha a ver com a ideia de fartura, de ver um prato enorme chegando à mesa, o que remete a culinária italiana. Hoje, temos certeza de que têm uma ligação direta nos gastos, pois, quando dividido, o prato sai mais em conta”, acredita o proprietário, Rubem Costa.

Receitas em fartas porções e que servem até seis comensais podem ser um modo econômico de sair com a família e gastar menos.

Confira algumas opções selecionadas pelo Divirta-se Mais

 

Parmegiana tradicional


No mês que vem, o Restaurante do Rubinho completa 10 anos de funcionamento, em Águas Claras. Capitaneado por Rubem Costa, o estabelecimento foi um dos primeiros a abrir as portas na cidade, hoje um dos maiores centros gastronômicos do DF.


Pelos clientes cativos e pela generosidade dos pratos — em geral, adaptados ao tamanho família — o Restaurante do Rubinho não sentiu a queda no mercado. Pelo contrário.


“Há duas semanas, tivemos o melhor domingo da história do estabelecimento, com uma média de 800 clientes atendidos somente no almoço”, conta o empresário.


O local virou uma referência por um preparado com caráter italiano que Rubem aprendeu a fazer quando trabalhou em restaurantes dos Estados Unidos.


A receita que mais sai da cozinha é a parmegiana de filé-mignon para quatro pessoas (R$ 83,90, com fritas e arroz; R$ 85,90, com arroz e purê; ou R$ 85,90, com talharim ao sugo).


Tamanho sucesso fez o empresário criar outras combinações, como a de filé de frango com arroz e fritas, por R$ 75,90, com acréscimo de R$ 2 para trocar as fritas por purê.


Sabores pouco explorados nessa forma, empanar e servir carne aparecem na parmegiana de  tilápia com arroz e fritas por R$ 74,90, com acréscimo de R$ 2 para trocar as fritas por purê ou de R$ 4 para trocar pela massa.

Em busca da parmegiana perfeita?

 

 

 (Carlos Moura/CB/D.A Press)
Rubem Costa ensina o segredo do filé mais famoso do Restaurante do Rubinho. Basta passar a carne em farinha de trigo, depois no ovo. Em seguida, empane na farinha de rosca. Frite e monte com molho sugo, uma camada de presunto e bastante muçarela. Leve ao forno para gratinar. Segundo ele, é essencial optar pelo molho de tomate italiano artesanal. Os 800kg usados por semana no restaurante, ele compra na Feira do Produtor, em Ceilândia. Os tomates são cozidos por pelo menos uma hora. Quem não dispuser desse tempo pode comprar o molho artesanal da casa, a R$ 9,50 (600g).

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.
Praiero 17 de Outubro às 18:19

Eu fico me perguntando o que faz um empresário bem-sucedido cobrar R$ 2,00 (dois reais) pra trocar fritas por purê....

[Denunciar]

BARES E RESTAURANTES

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

EVENTOS






OK