Brasília-DF,
15/AGO/2018

Espetáculo Meninos da guerra traz garotos de rua aos palcos da Ceilância

O elenco da peça carrega aos palcos os próprios relatos, as árduas jornadas, sob os olhos do diretor Carlos Laredo

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Diego Ponce de Leon Publicação:24/07/2015 06:04
Ex-moradores de rua integram o espetáculo de forte apelo social ( Diego Ponce de Leon/CB/D.A Press)
Ex-moradores de rua integram o espetáculo de forte apelo social
Quando a produção de Meninos da guerra enveredou por abrigos de Ceilândia na busca de meninos de rua que pudessem protagonizar o espetáculo, talvez ainda não soubessem das adversidades por vir. Talvez ainda não soubessem que alguns desistiriam pelo caminho, outros desapareceriam e, muito menos, que alguns seriam assassinados.

Envolto pela precariedade social do Distrito Federal e íntimo da violência urbana, o elenco da peça carrega aos palcos os próprios relatos, as árduas jornadas, sob os olhos do diretor Carlos Laredo, responsável pela dramaturgia. Ao lado de atores profissionais (como Jeferson Alves e Livia Fernandez), os adolescentes surpreendem o espectador com interpretações à altura do impacto gerado pelos depoimentos.

De alguma forma, a peça ganha ares de manifesto ao escancarar uma série de denúncias contra o abandono público do Estado, gerando uma reflexão que se faz cada vez mais pertinente. A cenografia e a lancinante trilha sonora - composta pelo rapper Gog - encarregam-se de compor esse quadro, cênico por ofício, mas tão real na essência.

Acima de tudo, sobra a coragem de lançar luz sobre quem paira o invisível, dar voz a quem sempre se cala, prover vida a quem achou que já a tinha perdido. Meninos da guerra revela jovens cansados de apanhar e dispostos, como nunca, a atuar.

Meninos da guerra
Dramaturgia e direção de Carlos Laredo. Codireção de José Regino. Assistência de direção de Livia Fernandez. Produção de Clarice Cardell. No Teatro Newton Rossi (Sesc Ceilândia). Hoje, amanhã e domingo, às 20h. No Sesc Garagem (913 Sul), em 4,5 e 6 de agosto, sempre às 20h30. Entrada franca. Não recomendado para menores de 14 anos.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES