Brasília-DF,
22/SET/2017

Malhação completa 20 anos; relembre os momentos do seriado

A atração é conhecida por ser um preparatório de atores, sendo o primeiro trabalho de grandes atores da atualidade

Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir Corrigir Notícia Enviar
Vinicius Nader Publicação:19/04/2015 06:00Atualização:17/04/2015 10:54
O universo das lutas marciais é um dos explorados na atual temporada de Malhação
 (Cynthia Salles/TV Globo)
O universo das lutas marciais é um dos explorados na atual temporada de Malhação
No próximo dia 22, o seriado teen Malhação completa 20 anos, idade maior do que a do público a que se destina. Quando estreou, em abril de 1995, o programa era uma incógnita: como falar para o jovem numa novela, gênero de que ele, geralmente, não gosta?

"Malhação é a única soap opera brasileira. Uma temporada é completamente independente da outra, mudando os personagens, as tramas e, muitas vezes, o cenário. O jovem não está acostumado nem disposto a ficar 200 capítulos esperando um desfecho, como acontece nas novelas", define Claudio Ferreira, estudioso de televisão e mestre pela UnB.

A longevidade do programa que começou numa academia de ginástica, passou por um curso pré-vestibular e hoje está entre uma academia de muay thai e uma escola de teatro é surpreendente. "Eu me lembro que quando começou falava-se em durar cinco anos", aponta Cláudio.

Altos e baixos
Se uma novela tradicional como Império e Babilônia sofre com a chamada "barriga", período de enrolação em que a trama não é desenvolvida, imagine uma que dura 20 anos. A oscilação entre a audiência e a qualidade do programa é grande e a dificuldade de manter o "padrão" maior ainda.

"É um desafio. A atração tem fôlego, mas está fadada a altos e baixos. É um risco trabalhar com esse público e nessa faixa de horário", afirma Claudio.

Conexão entre jovens e adultos

A ligação de Malhação com o jovem sempre foi direta - ou, pelo menos, é essa a intenção. Uma das armas para isso é a escolha dos temas. "É preciso que os redatores estejam sempre atentos ao que a garotada discute", alerta Cláudio.

Com o adolescente cada vez mais conectado, a tentativa de interação entre Malhação e o mundo virtual é crescente. O site tem material exclusivo e, pela quantidade de likes e compartilhamentos de cenas, percebe-se que a aceitação tem aumentado.

A TV Orelha divertia e marcava a interatividade com o público (TV Globo/Divulgação)
A TV Orelha divertia e marcava a interatividade com o público


Alguns personagens mantêm blogs e, há três temporadas, a TV Orelha divertia a todos com imagens de bastidores e de zoação entre os alunos. Atualmente, as questões sociais ganham força com flashmobs, prática que dialoga muito com os jovens, organizados pela galera da Ribalta.

Fã do seriado há cinco temporadas, a estudante Júlia Faleiro, de 17 anos, se identifica com o que assiste na telinha: "A história se parece bastante com a vida dos adolescentes de hoje em dia." Já Rosimeire Dias, 39 anos, conta que assistia ao programa na adolescência e que hoje quem gosta é a filha dela, de 11 anos. "Acompanhei várias fases do programa. Ele vai mudando e isso é interessante", diz.

Primeiros passos

Vários atores que vemos hoje em papéis de destaque na telinha passaram por Malhação no início da carreira. "É um laboratório para novos atores, diretores e autores. Mas só permanece no meio quem tem talento. O rostinho bonito fica mais dois, três anos e desaparece", afirma Cláudio.

Altos e baixos

Cabeção (Sérgio Hondjakoff).
O personagem marcou a carreira do ator, que, até agora, não conseguiu fazer mais nada de relevante na tevê. Ele entrou na temporada de 2000 e ficou até 2005.

Fatinha

A personagem de Juliana Paiva roubou a cena com suas tiradas engraçadas em que pérolas da autoajuda eram citadas como sendo de Clarice Lispector. Depois da novela, Juliana passou direto para as novelas da Globo.

 (TV Globo/Divulgação)


A Vagabanda

Deu o tom da temporada 2004/2005. Formado por Gustavo (Guilherme Berenger), Natasha (Marjorie Estiano) e Catraca (João Velho), o grupo ultrapassou a telinha, gravou quatro músicas no disco com a trilha do programa e ainda foi campeão de downloads com a faixa Você sempre será. Como se não bastasse, impulsionou a carreira de Marjorie, que interpretou Cora, em Império.

Esqueça, se puder!

O desgaste da fórmula "rapaz-se-apaixona-por-mocinha-comprometida-com-o-amigo" é inevitável. Mesmo que a audiência se renove, a equação deveria ser revista.

Na temporada 1998/1999, o programa foi rebatizado de Malhação.com e era apresentado ao vivo direto do quarto de Mocotó (André Marques), um dos personagens mais marcantes da trama. O público participava por telefone e o rapaz apresentava suas memórias. Deu tão errado que saiu do ar antes do previsto.

Em 2007, as aulas passaram a ser noturnas e a academia voltou a ser cenário da trama. A tentativa de dar mais peso aos personagens adultos e a temas ligados a emprego não deu certo e a temporada não durou nem um ano.

 (TV Globo/João Miguel Júnior)


Eles começaram lá!

Cauã Reymond - Desengonçado e longe de se tornar o ator disputado por diretores e fãs que é hoje, Cauã viveu Maumau na temporada 2002/2003 da novelinha. Ele armava muitas confusões ao lado de Cabeção e de Pedro, personagem defendido por Henri Castelli.

Carolina Dieckman - Na primeira temporada da novela, em 1995, ela deu vida a Juli, menina namoradeira que mudava de personalidade a cada novo namorado. Carolina já havia feito a minissérie Sex appeal e protagonizado Tropicaliente.

Thiago Lacerda - Lucas era o nome do personagem também chamado de Lula na temporada de 1997. Um ano depois, Thiago estourava nacionalmente na minissérie Hilda Furacão. Atualmente, ele vive o vilão Marcos em Alto astral.

Luana Piovani - Definida pelo autor Carlos Lombardi como uma espécie de Julieta, a personagem de Luana em 1997, Patrícia, vivia às turras com seu Romeu, Vodu (Pedro Vasconcellos, atualmente diretor de novelas da Globo).

Rodrigo Faro - Pouca gente se lembra, mas o apresentador da Record foi ator da Globo e cantor antes de comandar O melhor do Brasil. Na primeira temporada de 1998, ele era o protagonista Bruno, que sonhava em ser piloto de Fórmula 1.

Sophie Charlotte - Antes de O rebu e de Babilônia aparecerem na carreia de Sophie, foi como a Angelina que ela se destacou. A protagonista da temporada 2007/2008 era bolsista e tinha que lutar contra o preconceito ao se apaixonar por um rapaz rico.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.

CINEMA

TODOS OS FILMES [+]

BARES E RESTAURANTES

EVENTOS






OK